Evolução mensal do Dividend Yield médio dos índices IBOV, IDIV e IFIX: Junho de 2022

Data da publicação

Categoria

A Economatica é referência no desenvolvimento de sistemas para análise de investimentos. Desde sua fundação em 1986, a empresa mantém 100% de seu foco na coleta e gerenciamento de bases de dados de altíssima confiabilidade, bem como no desenvolvimento contínuo de ferramentas de análise de alta performance.

Destaques

Categoria

Data da publicação

Utilizando o complemento Add-In para Excel da plataforma Economatica nós elaboramos um estudo comparativo do dividend yield (DY) médio ponderado por mês do Índice Bovespa (IBOV), Índice de Dividendos (IDIV) e Índice de Investimento em Fundos Imobiliários (IFIX).

O cálculo considera o DY dos últimos 12 meses ao final de cada mês e sua ponderação pelo peso de cada ativo no índice daquele mês.

1. IBOV x IDIV x IFIX

Publicidade

O gráfico a seguir apresenta a variação do DY de cada índice e sua média histórica nos últimos 10 anos até o mês de junho de 2022.

Em junho de 2022, o dividend yield (DY) médio ponderado nos últimos 12 meses do Ibovespa (IBOV) chegou a 9,08%, especialmente puxado pelos dividendos recentes da Vale e da Petrobrás. A média dos últimos 10 anos desse DY é de 4,07%.

O DY médio ponderado do Índice de Dividendos (IDIV) foi 8,67%, acima da média de 6,93% nos últimos 10 anos. Já o DY médio ponderado do Índice de Fundos Imobiliários (IFIX) foi de 10,47%, também acima de sua média de 7,57% nos últimos 10 anos.

Comparando as médias de DY desses índices, percebe-se que o IFIX mantém uma média anual (7,57%) maior que o IDIV (6,93%) e o IBOV (4,07%).

No gráfico é possível perceber uma queda abaixo da média no DY de todos os índices entre nov/2019 e o pior momento em fev/2021, quando o DY começou a subir e chegou ao seu maior valor recente em abr/2022, especialmente devido à queda dos preços dos ativos.

2. IFIX x NTN-B

O gráfico a seguir apresenta a variação do DY mensal ponderado do IFIX em relação à taxa de juros do título público NTN-B com vencimentos em 2023 e 2035.

Ao longo dos últimos 10 anos é possível observar que em apenas dois momentos o DY do IFIX se aproximou das taxas da NTN-B, entre ago/2013 e jun/2014, e mais recentemente entre jul/2018 e out/2018.

Em junho de 2022, o DY do IFIX alcançou 10,47%, diante da média de 7,57% nos últimos 10 anos. Enquanto isso, a NTN-B 2023 teve taxa de 6,22% (média de 4,62%) e a NTN-B 2035 teve taxa de 5,81% (média de 5,28%).

Publicidade

3. IBOV x Índices Setoriais

O gráfico a seguir apresenta a variação do DY do Ibovespa, inclusive sem Vale e Petrobrás, e dos principais índices setoriais em termos de dividendos.

A área cinzenta do gráfico apresenta a variação do DY do IBOV, sendo alinha tracejada preta o DY do IBOV sem Vale e Petrobrás, que distribuíram volumes elevados de dividendos nos últimos meses. É possível observar a diferença entre essas variáveis, sendo o DY de junho do IBOV 9,08%, caindo para 2,98% sem Vale e Petrobrás.

Analisando o DY ponderado dos índices setoriais, o DY do setor financeiro (IFCN) foi 4,49%, de energia elétrica (IEE) foi 6,04%, de utilidade pública (UTIL) foi 5,56% e de imobiliário (IMOB) foi 2,49%.

4. Maiores DY do Ibovespa

A tabela a seguir destaca o DY acumulado em 12 meses para as ações. Para esta análise listamos os papéis com DY disponíveis nos últimos 3 anos, tendo como base o mês de junho. A classificação de maior DY é feita com base no mês mais recente.

A Petrobrás foi a empresa em destaque, com a PETR4 (39,14%) e a PETR3 (38,03%) com maiores DY, considerando os dividendos pagos nos últimos 12 meses e o preço das ações no final do mês. As medianas do DY dessas ações nos últimos 3 anos são de 3,68% e 4,61%, respectivamente.

A segunda colocada é a CPFL com 20,22% e a terceira é a Copel com 19,72% em junho.

5. Maiores DY do IFIX

A tabela a seguir destaca o DY acumulado em 12 meses os FIIs. Para esta análise listamos os fundos com DY disponíveis nos últimos 3 anos, tendo como base o mês de junho (fica na lista apenas fundos com dados nos 3 anos). A classificação de maior DY é feita com base no mês mais recente.

O fundo KNIP11 foi aquele com maior DY em junho (15,15%), considerando os dividendos pagos nos últimos 12 meses, tendo uma mediana de 10,32% nos últimos 3 anos.

A segunda posição é do SPTW11, com 14,72% em junho, seguido pelo RECR11 com 14,61%. Entre os fundos do TOP10, todos tiveram DY superiores a 12% ao ano, tendo como base jun/2022, além de mediana de DY nos últimos 3 anos acima de 7%.

Publicidade

A cobertura completa para atrair bons investimentos

Caso deseje uma planilha de Excel formatada para a realização deste estudo com um Add-In, você pode baixá-la em nosso site no link https://economatica.com/galeria na pasta “Fundos Imobiliários”.

Caso deseje personalizar o estudo e seja usuário da nossa solução, entre em contato com nosso suporte pelo telefone 011 40813800 ou pelo e-mail [email protected] para que possamos lhe auxiliar na elaboração do estudo e implementar a nova ferramenta conforme suas necessidades. Se ainda não for usuário da nossa plataforma solicite um trial.

Autor

A Economatica é referência no desenvolvimento de sistemas para análise de investimentos. Desde sua fundação em 1986, a empresa mantém 100% de seu foco na coleta e gerenciamento de bases de dados de altíssima confiabilidade, bem como no desenvolvimento contínuo de ferramentas de análise de alta performance.

No Clube Acionista você tem acesso aos principais formadores de opiniões do mercado. Através de análises diárias entre diversos especialistas do país. Tudo isso em um só lugar!

Informações + Recomendações de investimentos em um só lugar

Compartilhe esse post nas suas redes!

Você pode se interessar por

Leia também

Publicidade

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão. Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso. Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Esse site usa cookies para personalizar o conteúdo, propagandas e acompanhar o tráfego de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.