CRI e CRA: o que são e como funcionam

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Receba notícias por Whatsapp

Receba notícias pelo Telegram

Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA), são títulos de renda fixa com vencimentos de longo prazo e isentos de imposto de renda para a pessoa física.

O objetivo principal é captar recursos para o setor, sendo o CRI para o imobiliário e o CRA para o agronegócio.

O título pode ser semelhante com LCI e LCA, mas possuem algumas diferenças.

Veja com mais detalhes

O que são Certificados de Recebíveis

O que é CRI e a diferença entre LCI

O que é CRA e a diferença entre LCA

Como funciona a rentabilidade

Como analisar um CRI ou CRA

Como realizar o investimento

O que são os Certificados de Recebíveis

Os Certificados de Recebíveis são títulos de renda fixa emitidos por uma instituição financeira para captar recursos, onde no vencimento, o investidor recebe o dinheiro acrescido de juros.

O investidor neste ramo está financiando projetos imobiliários ou do agronegócio em troca de rendimentos. Ou seja, está comprando um direito de receber em data futura o valor aplicado mais um taxa no vencimento do papel.

Os títulos são emitidos através de uma securitizadora, responsável por conceder o crédito para o empreendimento imobiliário ou para a produção rural. Assim alavancando o setor e transformando o crédito em forma de título de renda fixa.

O que é o Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) e a diferença entre LCI

O CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários) é um título emitido para captar recursos para o setor imobiliário. Portanto é um instrumento para a captação de recursos para financiar transações do mercado imobiliário.

A diferença entre CRI e LCI está em quem emite, pois o CRI é emitido por uma securitizadora e a LCI é emitida por uma instituição financeira.

Quem investe em LCI tem a garantia do FGC, até R$ 250 mil por CPF. Já quem investe em CRI, não possui a garantia.

Portanto o CRI funciona basicamente como um empréstimo feito pelo investidor ao mercado imobiliário. Ao final do contrato, o investidor recebe o valor inicial acrescido do pagamento de juros, previamente acordados ou flutuantes de acordo com taxas do mercado.

O principal risco deste investimento é o de crédito (o não pagamento) da empresa que emitiu o título não conseguir honrar o compromisso de pagar o que foi acordado. E por não possuir garantia do FGC, portanto, torna-se um título mais arriscado.

O que é o Certificado de Recebíveis Agronegócio (CRA) e a diferença entre LCA

O CRA (Certificado de Recebíveis do Agronegócio) é um título emitido para captar recursos para o setor do agronegócio, sendo esta a principal diferença entre CRI e CRA.

Ou seja, captam dinheiro para o agronegócio de forma muito parecido com a LCA (Letra de Crédito do Agronegócio), contudo um é emitido por uma instituição securitizadora (o CRA) e o outro é emitido por uma instituição financeira (LCA) com garantia do FGC.

Para investir neste tipo de aplicação é preciso conhecer muito bem o pacote de CRA (da mesma forma com os CRIs). A vantagem desta opção de investimento é que o Governo Federal não cobra Imposto de Renda, por estar contribuindo para o crescimento do país.

Como funciona a rentabilidade

As formas mais comuns de remuneração do Certificado de Recebíveis do Agronegócio e dos Certificados de Recebíveis Imobiliários são:

Percentual do CDI (taxa pós-fixada): preferível em tendência de aumento dos juros;

CDI + taxa prefixada: preferível em tendência de queda dos juros;

Índices de preços ou inflação + taxa prefixada (ex: IGP-M, IPCA): preferível para investidores de longo prazo que buscam preservação de patrimônio;

Taxa prefixada: preferível após ciclo de alta de juros.

É importante analisar sempre a relação entre rentabilidade e o prazo dos contratos, pois é preciso respeitar até o fim do prazo para garantir a rentabilidade.

Como analisar um CRI ou CRA

Antes de investir é sempre muito importante conhecer onde se está aplicando o dinheiro, no caso dos CRIs e CRAs não é diferente. Portanto considere alguns pontos para observar na hora de escolher o investimento:

Emissor: observe quem emite o pacote de dívidas.

Rating: saiba qual a nota de crédito do investimento. As agências classificadores de risco divulgam a avaliação de qualidade de crédito do emissor e sua capacidade de honrar as obrigações financeiras.

Rentabilidade: observe a relação risco e retorno do investimento.

Prazo de Vencimento: esteja ciente do vencimento para garantir o dinheiro aplicado até o fim do prazo.

Como realizar o investimento

Antes de começar a investir é preciso estar ciente de seu perfil de investidor.

Na sequência, para você realizar o investimento, é preciso ter uma conta em uma corretora, escolher o título ideal (verificando os detalhes), transferir o dinheiro e comprar o título.

No vencimento, haverá o resgate do título com o rendimento do dinheiro.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Publicidade

Leia também

Destaques da bolsa ativos durante o pregão - das 10h as 17h - Fonte: Google Finance - delay aprox. de 20 min.

*Dados inativos fora do horário do pregão.