Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Receba notícias por Whatsapp

Receba notícias pelo Telegram

Os CDBs é uma das aplicações mais conhecidas entre investidores, uma das principais alternativas de investimento no mercado brasileiro. Os CDBs (Certificados de Depósito Interbancário) são títulos emitidos por bancos, que podem ser vistos como um depósito bancário, já que ao comprar o CDB você na verdade está emprestando o dinheiro para o banco, e recebendo em troca o pagamento de juros.

É um título tão seguro quanto poupança, mas com rendimentos melhores. Muitas vezes com rendimentos acima do CDI, o principal indicador de rentabilidade da renda fixa.

Portanto o CDB é um título de renda fixa emitido pelos bancos para captar dinheiro e financiar seus projetos e operações. Ou seja, você empresa o seu dinheiro em troca de juros no prazo combinado. Como estamos em época de queda nas taxas de juros, a poupança tem ficado para trás na rentabilidade e os CDBs começaram a tomar protagonismo na preferência de muitos investidores que procuram rentabilidade e segurança.

Veja com mais detalhes

  • Como funciona o CDB?
  • Vantagens de investir em um CDB
  • Tipos de CDBs
  • Taxas e impostos
  • Riscos de Investimento
  • Como escolher?

Como funciona o CDB

O CDB funciona como um empréstimo de recursos ao banco, onde o mesmo irá devolver ao investidor a quantia que for investida, na data estabelecida e acrescida de juros combinado no momento da aplicação do investimento.

É uma aplicação que se encaixa ao perfil conservador, pois envolve menos risco e tem a mesma segurança que a poupança (podendo entregar rentabilidades muito melhores). Também servem como boas alternativas para diversificação de portfólio aos demais perfis (moderado e agressivo).

Além disso, os CDBs possuem flexibilidade, pois existem opções com liquidez diária, voltada para pessoas com metas de curto prazo. Ou opções que envolvem prazos mais longos, que por consequência do maior risco, também oferecem melhores rendimentos.

Por este motivo, lembramos, cuide sempre as alternativas, conheça a aplicação e aplique na oportunidade que se enquadra aos seus objetivos.

Vantagens de investir em um CDB

Três vantagens de investir em um CDB:

(1) A rentabilidade pode superar amplamente a poupança considerando que possuem o mesmo tipo de risco.

(2) A possibilidade de ter a liquidez diária, poder retirar o dinheiro quando quiser. Muitos investimentos de renda fixa não permitem que o resgate seja antes do prazo de vencimento.

(3) Segurança do Fundo Garantidor de Crédito. Garantia que previne que o investidor perca o dinheiro aplicado, caso o banco quebre ou não consiga devolver o dinheiro.

Principais tipos de CDBs

A principal diferença entre eles está na composição e na rentabilidade do título.

CDB pré-fixado: Neste investimentos você já define os juros no momento da aplicação, portanto você já saberá quanto o seu dinheiro irá render até a data do vencimento.

CDB pós-fixado: Neste tipo você atribui o rendimento à algum indexador, como o CDI falado anteriormente. Neste caso, títulos acima do 100% do CDI passam a ser interessantes.

Híbrido: É uma combinação entre pré-fixado e pós-fixado. O título terá uma parte que você já saberá o rendimento até o vencimento e outra parte que acompanhará algum indexador.

Taxas e impostos

Cada corretora possui políticas distintas para cobrar taxas, portanto nossa sugestão é que você verifique onde vai investir e se o valor cobrado está sob seu consentimento. A taxa de custódia é uma das taxas comuns do mercado, que hoje já possui várias casas deixando de cobrar, no entanto é um valor cobrado mensalmente pela instituição para armazenar os títulos.

O Imposto de Renda incide apenas sobre os rendimentos e funcionam de forma regressiva. Quanto maior o tempo de aplicação, menor a taxa de IR no rendimento. Veja:

  • Até 180 dias de aplicação – IR: 22,5%
  • De 181 a 360 dias de aplicação – IR: 20%
  • De 361 a 720 dias de aplicação – IR 17,5%
  • Acima de 721 dias de aplicação – IR 15%

Se você resgatar em menos de 30 dias da data de aplicação, é obrigatório pagar IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

 Riscos de Investimento

Ao aplicar seu dinheiro em um CDB, o maior risco é de que o banco que emitiu o CDB fique inadimplente, ou seja, que o banco quebre antes de pagar seus clientes. Nesse caso, a aplicação é garantida pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), vinculado ao Governo Federal, até um valor máximo de R$ 250.000,00 por CPF.

Assim como grande parte dos fundos de renda fixa, os CDBs pré-fixados se beneficiam de liquidez diária, isto é, você pode sacar seu dinheiro a qualquer momento, mas assim como acontece com os fundos, se o saque acontecer antes de 30 dias terá de pagar IOF regressivo, isto é, quanto mais tempo deixar o dinheiro investido menos paga em IOF. No vencimento do CDB, você recebe um crédito automático em sua conta corrente, já descontado o pagamento de imposto de renda sobre o rendimento bruto do CDB no período.

Como escolher?

Títulos pré-fixados geralmente são sugeridos após ciclos de alta nos juros.

Títulos pós-fixados são recomendados em épocas de tendência de alta nos juros.

Títulos híbridos: Sugeridos em épocas de queda de juros.

Os principais indexadores escolhidos pelos investidores são: CDI, IPCA e IGP-M.

Na hora de escolher é importante levar em consideração qual o seu objetivo (curto, médio, longo prazo), para saber quando você vai precisar do dinheiro. A rentabilidade estará relacionado ao prazo do investimento (quanto mais tempo de aplicação, maior a rentabilidade).

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Publicidade

Leia também

Destaques da bolsa ativos durante o pregão - das 10h as 17h - Fonte: Google Finance - delay aprox. de 20 min.

*Dados inativos fora do horário do pregão.

Nossa missão é ajudar você a investir melhor com uma variedade de conteúdos, de diversas fontes. Acreditamos que quanto mais você se informa, melhor você decide!

Agruras e expectativas da reforma tributária

Por: Nelson Tucci

Toda segunda-feira

Agruras e expectativas da reforma tributária

Por: Nelson Tucci

Toda segunda-feira