ENERGIAS BR (ENBR3) – O volume de energia distribuída caiu 11,6% no 2T20

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Tire dúvidas sobre investimentos

Receba notícias pelo Telegram

A EDP divulgou suas informações referentes ao mercado de energia elétrica do 2T20 dos segmentos de atuação da companhia, na comparação com igual trimestre de 2019.

Conforme esperado, no segmento de distribuição, o consumo de energia caiu 11,6% no 3T20 em relação ao 2T19 para 5,7 milhões de MWh. No acumulado do primeiro semestre, a queda foi de 8,3% para 11,9 milhões de MWh. Já o número de clientes cresceu 2% em base anual chegando ao final de junho a 3,54 milhões.

Cotadas a R$ 17,76/ação (valor de mercado de R$ 10,8 bilhões) a ação ENBR3 registra queda de 17,2% este ano. O preço Justo de R$ 21,00/ação traz um potencial de alta de 18,2%.

Destaques

• No trimestre, o ritmo de queda no volume de energia distribuída foi maior na EDP São Paulo, com recuo de 12,1%. Já a EDP Espírito Santo, registrou queda de 10,7%. Em base semestral a EDP São Paulo mostrou queda de 6,5% enquanto na EDP Espírito Santo o total de energia distribuída caiu 11,0%;

• Os mercados, livre e cativo, tiveram quedas parecidas no segundo trimestre, de 12% e 11,2%, respectivamente. No semestre, os recuos foram de 7,6% no mercado livre e de 8,9% no cativo. Em relação ao número de clientes, o segmento livre teve aumento de 28%, enquanto no cativo, a alta foi de 2%;

• Entre as classes de clientes, o pior desempenho ficou com o segmento comercial, com queda de 24,0%. Nas indústrias, o recuo foi de 15,6%, e entre os clientes rurais, a queda somou 6,7%. Já na classe residencial, houve aumento de 2,1%. Segundo a companhia, os números foram diretamente impactados pela pandemia de covid-19;

• Na geração, considerando as empresas consolidadas, o total de energia vendida caiu 5,0% no 2T20. A estratégia de sazonalização da companhia foi de maior alocação de energia para o segundo semestre de 2020;

• No ramo de comercialização, o volume de energia totalizou 4.060 GWh, aumento de 10,6% em relação ao segundo trimestre de 2019. Segundo a EDP, houve reduções nas expectativas de demanda com a crise, e a queda no consumo de energia levou à recuperação dos reservatórios, o que favoreceu a tendência de preços mais baixos.

GUIDE INVESTIMENTOS: ENERGIAS BR (ENBR3) informa que a distribuição de energia caiu 11,6% no 2T20

A EDP Brasil disse que a distribuição de energia sofreu uma queda de 11,6% no 2T20, para 5,7 milhões de megawattshora (MWh), vs. o mesmo período em 2019.

O principal motivo é o impacto econômico, consequente da pandemia de coronavírus. O isolamento social fizeram com que a produção industrial contraísse, atividade industrial reduzisse e desemprego aumentasse.

A empresa completou que, condições climáticas mais amenas do período também foram responsáveis pela queda do consumo.

O consumo industrial caiu 15,6% para 2,3 milhões MWh no período, o comercial, 24%, para 822 mil MWh, e o rural, 6,7%, para 232,8 mil MWh. Outros segmentos tiveram retração de 7%, para 495 mil MWh.

O segmento residencial foi o único que teve incremento, subindo 5,6%, para 999,5 mil MWh.

O número de clientes totais da cia cresceu 2,5%, para 1,9 milhão. E o de clientes no mercado livre subiu 29%, para 720, em função das migrações dos clientes cativos para o mercado livre. Por fim, o número de clientes cativos ainda aumentou 2%, para 3,5 milhões.

Impacto: Negativo. O isolamento social, imposto devido a chegada da pandemia, causou forte impacto econômico, que refletiu na redução da distribuição de energia. O mix de consumo foi alterado, de modo que o segmento residencial tenha sido o único a ter aumento em sua demanda.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também