Publicidade

E se Deus fosse brasileiro?

Tempo de leitura: ‍

Decifrando o Portfólio de Deus no Mercado Nacional

O mercado financeiro apresenta um desafio contínuo: prever quais ativos serão os vencedores de
acordo com os objetivos e o horizonte de tempo dos investidores. Esta tarefa, que define a essência e o dia a dia do mercado, envolve milhares de estratégias, análises detalhadas, modelos profundos e
complexos, além da compreensão das tendências do mercado global.

Imagine por um momento possuir uma habilidade única: a capacidade de prever com precisão os
ativos que se destacarão no mercado. Esta ideia, quase mística, é como ter um insight divino
sobre o futuro. Nos EUA, um estudo ganhou popularidade sob o nome de “The God’s Portfolio”
(A Carteira de Deus). Este estudo explora a ideia de montar uma carteira de investimentos com
conhecimento antecipado sobre o desempenho das ações. Em outras palavras, é como se
tivéssemos uma visão do futuro, permitindo-nos escolher os investimentos mais rentáveis antes
mesmo de eles se valorizarem.

E se Deus, nesse caso, fosse brasileiro?

Adaptando essa abordagem ao contexto brasileiro, realizamos um estudo usando dados da
Economatica desde 1995. Criamos carteiras com rebalanceamento a cada 5 anos e com as 20
ações de melhor desempenho de cada período, mantendo a liquidez como um critério essencial.
Isso permite uma análise mais realista, livre das distorções causadas por ativos de baixa liquidez.

Ao analisarmos a performance dessas carteiras em comparação com o IBOVESPA, observamos
um desempenho exponencial da carteira teórica. O gráfico em escala logarítmica ilustra essa
diferença, destacando a superação do benchmark brasileiro. Entre 1995 e 2024, a carteira teórica
apresentou um retorno médio anual de 52,54%, significativamente maior que os 13,07% do
IBOVESPA. A volatilidade, um indicador de risco, ficou entre 30 e 35%.

Essa carteira apresentou uma performance excepcional, conforme esperado de uma seleção
intencional de ativos com as melhores performances. No entanto, é evidente que uma estratégia
como essa não pode ser replicada na prática.

Então, qual é o verdadeiro propósito deste estudo?

A essência deste estudo é reconhecer que, mesmo uma carteira ‘ideal’ e teoricamente perfeita,
não está isenta de oscilações e perdas. Isso destaca que retornos extraordinários não equivalem
à eliminação dos riscos inerentes ao mercado.

Ao comparar o drawdown do ‘portfólio de Deus’ com o IBOVESPA, observamos que durante crises
financeiras globais marcantes – como a crise asiática de 1997 e 1998, a crise financeira de 2008,
e a pandemia de COVID-19 em 2020 -, a carteira teórica, apesar de sua seleção ‘divina’, não ficou
imune às turbulências do mercado.

Observando os períodos de cinco anos, que correspondem ao período de rebalanceamento da
carteira, vemos que o IBOVESPA teve perdas maiores que a carteira hipotética na maioria das
vezes, com exceção do período de 2015 a 2020. Isso evidencia que mesmo com uma previsão
perfeita dos melhores ativos, o mercado é suscetível a flutuações significativas.

Portanto, com base nesses insights, é possível deduzir que mesmo se um gestor ou investidor
possuísse o poder de Marty McFly, o icônico viajante do tempo de “De Volta para o Futuro”, ou
detivesse habilidades divinas para antever os melhores ativos, ele ainda estaria sujeito a períodos
de quedas acentuadas no mercado.

Aqui, vale ressaltar que o mercado financeiro é um terreno repleto de oportunidades de criação
de riqueza, crescimento e performance impressionante das carteiras. No entanto, é fundamental
entender e ter a resiliência para enfrentar as turbulências. O mercado terá seus altos e baixos, além de crises que testarão não só a paciência, mas também o estômago dos gestores, cotistas e
investidores.

Portanto, mesmo sem contar com uma máquina do tempo ou poderes sobrenaturais, com uma
estratégia bem definida, uma gestão de riscos eficaz e uma visão de longo prazo, é possível
alcançar o sucesso como investidor. Em outras palavras, você pode não ter os poderes divinos
ou um DeLorean para prever o futuro, mas com as ferramentas certas e uma boa estratégia, você
pode navegar pelo mercado com confiança e, quem sabe, até com um pouco da magia de Marty
McFly.

Caso deseje personalizar o estudo e seja usuário da nossa solução, entre em contato com nosso
suporte pelo telefone (11) 4081-3800 ou pelo e-mail [email protected] para que
possamos lhe auxiliar na elaboração do seu estudo, conforme suas necessidades. Se ainda não
for usuário da nossa plataforma, solicite-nos um trial.

Publicidade
Economatica

Economatica

A Economatica é referência no desenvolvimento de sistemas para análise de investimentos. Desde sua fundação em 1986, a empresa mantém 100% de seu foco na coleta e gerenciamento de bases de dados de altíssima confiabilidade, bem como no desenvolvimento contínuo de ferramentas de análise de alta performance.
Economatica

Economatica

A Economatica é referência no desenvolvimento de sistemas para análise de investimentos. Desde sua fundação em 1986, a empresa mantém 100% de seu foco na coleta e gerenciamento de bases de dados de altíssima confiabilidade, bem como no desenvolvimento contínuo de ferramentas de análise de alta performance.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão. Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso. Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Mais destaques

Relatório FNJ

“Acho que foram os relatórios FNJ, e o interesse que eles despertaram nos leitores, que me fizeram, pouco tempo depois, largar o mercado e me tornar escritor em tempo integral.”

FIDCs: Democratização do crédito e inovação financeira no Brasil

A Instrução CVM 175 marca um momento transformador no mercado de fundos brasileiro, em especial para os Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDCs). Ao permitir que investidores individuais aportem recursos nesses fundos, que antes eram exclusivos de investidores institucionais ou qualificados, houve uma democratização do acesso a esses instrumentos

Mais lidas

ESPERE! Antes de sair...

Aproveite a oportunidade que não pode ser deixada para depois.

Esse site usa cookies para personalizar o conteúdo, propagandas e acompanhar o tráfego de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.