sexta-feira, fevereiro 28, 2020

Duratex divulga EBITDA ajustado de R$ 908,9 mi em 2019

-

A Duratex anuncia os resultados financeiros do quarto trimestre (4T19) e do ano de 2019. No acumulado do ano, o EBITDA ajustado e recorrente foi de R$ 908,9 milhões, o que representa um aumento de 7,1% em relação ao resultado de 2018.

No trimestre, o EBITDA ajustado e recorrente foi de R$ 278,3 milhões, crescimento de 17,5% na comparação com o mesmo período do ano anterior, justificado pelo diferencial do resultado advindo da aquisição da Cecrisa S.A, que passou a compor o resultado a partir do 4º trimestre, melhora dos ganhos em eficiência operacional das outras unidades e da bem-sucedida implementação de aumento de preços da Divisão Deca.

“Em um cenário desafiador, com alta do desemprego, baixa confiança do consumidor e empreendimentos imobiliários que começam a se consolidar, a Duratex finaliza o ano com melhora de resultado operacional e com ganho de margem em suas divisões”, comenta Henrique Haddad, diretor de Administração, Finanças e Relações com Investidores da Duratex.

No ano, a geração de caixa da companhia foi de R$ 459,7 milhões, 181% maior do que o gerado em 2018. Esse valor exclui os dispêndios com o projeto de expansão da Ceusa, a aquisição da Cecrisa e os recebimentos referentes às vendas de ativos florestais realizada no período.

A melhora na gestão de capital de giro, principalmente na negociação de prazo com fornecedores e clientes, levou a companhia a gerar R$ 360,0 milhões no quarto trimestre, 462,7% acima do realizado no mesmo período de 2018, desconsiderando os ganhos extraordinários com a venda de ativos florestais, bem como os gastos não recorrentes vinculados à aquisição da Cecrisa S.A.

No ano, os investimentos consolidados somaram R$ 455,7 milhões, dos quais R$ 179,2 milhões foram desembolsados na formação de ativo biológico e R$ 276,5 milhões foram investidos em ativos imobilizados e intangíveis. A receita líquida consolidada do trimestre foi de R$ 1.486,2 milhão, o que demonstra alta de 17,6% em relação ao mesmo período do ano passado. A receita líquida advinda do mercado externo foi de R$ 215,5 milhões no trimestre, representando 14,5% da composição de receitas da Companhia no trimestre.

O índice de alavancagem da companhia foi de 1,88x (dívida líquida/EBITDA), versus o 2,5x apresentado no 3T19. Esta redução deu-se pela maior geração de caixa e recebimento da venda de ativos florestais. A Dívida Líquida da Duratex encerrou o quarto trimestre do ano em R$ 1.705,3 milhões, R$ 455,9 milhões abaixo do apresentado no 3T19, significantemente inferior ao apresentado no último trimestre. Importante destacar que no ano de 2019, a companhia adquiriu a empresa Cecrisa, pela qual desembolsou R$ 289,1 milhões e absorveu dos R$ 304,8 milhões em dívida líquida, além de R$ 65,5 milhões em contingências e gastos com reestruturação. Esses dispêndios, somados ao pagamento de dividendos e projetos, foram compensados pela maior geração de caixa e recebimento de R$ 816,1 milhões referentes a venda de terras e florestas, levando a estabilidade da dívida líquida da empresa frente ao ano de 2018.

Também foram apurados R$ 65,9 milhões em despesas gerais e administrativas no quarto trimestre de 2019, alta de 26,4% em relação ao mesmo período de 2018. Este aumento deve-se a consolidação do resultado da Cecrisa, que representou aproximadamente 50% do valor acrescido. Ademais, as despesas gerais e administrativas também foram afetadas pelos gastos extraordinários com a nova unidade de celulose solúvel (LD Celulose), os quais totalizaram R$ 6 milhões.

Resultados por divisões

A Divisão de Revestimentos Cerâmicos foi impactada positivamente pela aquisição da Cecrisa, uma vez que, em 2019, a divisão passou a operar com duas marcas de forte relevância no mercado de revestimentos cerâmicos, Portinari e Ceusa, tornando-se um dos principais players no segmento de alto padrão. A receita líquida, por sua vez, encerrou o ano em R$ 499,8 milhões, dos quais R$ 218,6 foram apurados no 4T19. Destaca-se que esta receita líquida trimestral já representa 15,9% da receita total apurada pela Duratex no ano. Importante destacar que a Divisão iniciou a reestruturação operacional prevista no processo de captura de sinergias, que promoveu uma margem EBITDA de 19,9%.

O ano de 2019 foi desafiador para a Deca, com a recuperação econômica sendo retomada apenas no quarto trimestre. Neste contexto, a Divisão, por meio do pilar de Eficiência Industrial e Logística, implementado em sua agenda estratégica, apresentou melhora consistente na rentabilidade de seus produtos. Impulsionada pela nova estratégia comercial e pela melhora na confiança do consumidor. No quarto trimestre, a Deca apresentou aumento de 16,1% no nível de expedição em relação 4T18, encerrando o ano com queda de 1,2% em relação ao ano anterior. No tocante a receita unitária, o trimestre encerrou com alta de 2,4% sob resultado do 4T19, enquanto o ano de 2019 foi 7,7% superior ao ano de 2018, devido ao posicionamento premium da marca e à bem-sucedida implementação do aumento de preço.

Em meio ao cenário de retração do mercado brasileiro de painéis de madeira em 1% em relação ao ano anterior, conforme dados da IBÁ, a Divisão Madeira direcionou seus esforços na aplicação de sua política comercial, na priorização da venda de produtos de maior valor agregado e na excelência de gestão em custos, entregando significativo aumento em sua rentabilidade no trimestre com margem EBITDA ajustada e recorrente de 23,2% versus 20,3% apresentado no 4T18.

Importante destacar que, em 2019, o resultado da Divisão Madeira foi impactado pelos gastos de R$ 20,3 milhões reais com a nova unidade de celulose solúvel, dos quais R$ 6 milhões ocorreram no quarto trimestre. Desta forma, o EBITDA Ajustado e Recorrente da Divisão foi de R$ 569,9 milhões no ano e R$ 167,9 milhões no trimestre, respectivamente 4,7% e 2,5% sobre os períodos de 2018. Excluindo o efeito da venda de chapa de fibras e dos dispêndios com a unidade de celulose solúvel, houve crescimento de 17,1%. No trimestre, a Divisão também apresentou ganho de rentabilidade, com a margem EBITDA de 23,2%, 3,2 p.p acima do quarto trimestre de 2018.

(MR – Agência Enfoque)

A principal referência do mercado financeiro

Aqui no Acionista você tem a oportunidade de ler, comparar e decidir.

Trabalhamos em prol do investidor, aproximando em apenas um local diversas opiniões, sugestões e expectativas para o mercado.

CONHEÇA AS NOSSAS ASSINATURAS

- Anúncio-

 

Últimas Notícias