Publicidade
Publicidade
Publicidade

Disney projeta crescimento agressivo mas BTG vê riscos

Data da publicação

O portal Acionista.com.br aproxima investidores, informações e investimentos com conteúdos atualizados diariamente sobre o mercado financeiro e as companhias abertas nos diferentes meios digitais – website e redes sociais.

Data da publicação

Confira a análise do BTG sobre o BDR da Disney (DISB34), empresa que projeta um crescimento agressivo para o futuro. Mesmo assim, conforme os analistas do BTG Pactual, atualmente o cenário para o ativo representa riscos e com base nisso decidiu remover o papel da carteira recomendada de Dezembro.

Empresa projeta crescimento agressivo

No dia 10 de novembro, a companhia anunciou resultados do 4º trimestre do ano fiscal de 2021, e os resultados vieram abaixo do consenso de mercado em todas as principais métricas.

A receita líquida foi de US$18,5 bilhões, crescendo 26% sobre o 4T2020, mas o consenso esperava US$18,8 bilhões. O lucro por ação ajustado por itens não recorrentes foi de US$0,37, contra US$0,51 esperados (dados do consenso coletados pela Refinitiv).

Publicidade

A divisão de parques, experiências e produtos teve lucro operacional pela primeira vez desde a pandemia, com todos os parques temáticos abertos e cruzeiros marítimos em operação durante o trimestre, apesar de limitações de capacidade.

Segundo os analistas do BTG, a receita da unidade dobrou sobre o ano passado, alcançando US$5,45 bilhões, e o lucro operacional foi de US$640 milhões, bem abaixo da projeção do consenso, de US$942 milhões.

No dia 08/12, os EUA levantaram todas as restrições de viagens internacionais ao país, mas a Disney só espera um impacto positivo de turistas estrangeiros após meados de 2022, devido ao longo tempo de planejamento de viagens de férias familiares.

O Disney Plus, serviço de streaming, confirmou a desaceleração do crescimento indicado pelo CEO, Bob Chapek, numa
conferência em setembro, adicionando apenas 2,1 milhões de assinantes no trimestre encerrado em 02 de outubro (a
Netflix teve mais que o dobro em adição de assinantes no período).

Os analistas estavam bem mais otimistas que a própria companhia, e projetavam uma adição de 9,4 milhões de assinantes.

A diretoria espera um crescimento mais agressivo na base de assinantes no 2º semestre de 2022, com a aceleração de lançamentos pela Marvel, Star Wars, Pixar, e Nat Geo à partir de Julho de 2022.

No release de resultados, a divisão DTC, Direct to Consumer, que inclui o Disney Plus, registrou aumento de 68% no prejuízo operacional, refletindo maiores custos de produção, marketing e tecnologia em todos os serviços (Hulu, ESPN
Plus e Disney Plus).

Publicidade

Risco Disney

Para dezembro, os analistas do BTG decidiram remover o BDR da Disney A Disney por desapontar o mercado no último resultado trimestral publicado, com receita e lucros abaixo do consenso, e deu indicação de resultados um pouco mais fracos nos próximos trimestres. Apesar do mau desempenho do BDR em novembro, a ação ainda tem múltiplos elevados, e os atrasos na produção de conteúdo, nos lançamentos de filmes, e na ocupação total dos cruzeiros e parques temáticos (previstos apenas para o 2º semestre de 2022, caso não ocorra o recrudescimento da pandemia) devem impedir a apreciação do BDR no curto-prazo.

Quer saber onde estão os ativos mais recomendados pelos analistas? Confira por aqui.

Autor

O portal Acionista.com.br aproxima investidores, informações e investimentos com conteúdos atualizados diariamente sobre o mercado financeiro e as companhias abertas nos diferentes meios digitais – website e redes sociais.

Receba informações do mercado financeiro no seu celular gratuitamente

Compartilhe esse post nas suas redes!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Você pode se interessar por

Publicidade

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão. Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso. Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Publicidade
Publicidade

Telegram Acionista

Os principais destaques do mercado! A melhor cobertura.

Esse site usa cookies para personalizar o conteúdo, propagandas e acompanhar o tráfego de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.