As crises econômicas no brasil: a importância da preparação do sucessor na manutenção da empresa familiar para as próximas gerações

Data da publicação

Categoria

Sócio-Diretor da Ricca & Associados Consultoria e Treinamento, Conselheiro Fiesp e Conselheiro do COMPI – Conselho Superior da Micro, Pequena e Média Indústria , sócio da Revista Empresa Familiar. Consultor especializado em Empresas Familiares. Certificado em Governança Corporativa pela SQS Suíça e Fundação Vanzolini. Idealizador e apresentador do Programa Vida de Empresário.

Categoria

Data da publicação

As questões que envolvem o cenário nacional são complexas e de difícil solução. Ser empresário no Brasil, na atualidade e mesmo em outras épocas, é sinônimo de criatividade, persistência e resiliência. Nos últimos meses, os sobressaltos envolvem: aumento dos combustíveis, aumento das tarifas de energia, escassez de água, aumento de impostos, redução do consumo, disparada do dólar, entre outros fatores que fazem com que o cenário fique nebuloso e incerto.

Mas crise econômica não é novidade neste país, a exemplo do que o mercado viveu na década de 80, a chamada “década perdida”, em virtude de inúmeros problemas que culminaram com planos econômicos catastróficos para a população e para as empresas de forma geral.

Muito embora o empresariado tenha que lidar com as dificuldades existentes na economia nacional, com períodos de maiores e outros de menores obstáculos ao crescimento organizacional, a empresa familiar sobrevive às intemperes, e continua sendo predominante na economia do Brasil e do mundo.

Publicidade

As organizações de natureza familiar são as maiores geradoras de emprego e renda neste país. Estima-se que empregue cerca de 60% da mão-de-obra brasileira, e que promova 48% da produção nacional. A própria economia do país baseia-se em grandes grupos de propriedade familiar.

Para que a empresa se mantenha no mercado, mesmo com a grande turbulência enfrentada pelas empresas brasileiras, é necessário garantir que a empresa esteja profissionalizada, permitindo a adoção de instrumentos que regulam as ações e que monitorem os resultados corporativos. O Programa de Governança Corporativa é uma ferramenta importante no processo de profissionalização das empresas familiares.

Além disso, é fundamental que haja preparação do sucessor ———

Neste ambiente competitivo, o Conselho de Administração assume grande relevância no desenvolvimento da gestão corporativa. Sua formação e estrutura podem ter o papel decisivo na sobrevivência da empresa, na conquista de novos mercados e nos direcionamentos estratégicos das organizações.

Em virtude da crise brasileira que se abateu nos mercados, e consequentemente nas organizações de uma forma geral, tornou-se fundamental para as corporações de natureza familiar desenvolver mecanismos que minimizem riscos e ajudem a estabelecer os direcionamentos estratégicos. Isso pode ser feito por meio de alguns posicionamentos que a família deve adotar frente a seus negócios, a saber:

  • Metas e Objetivos de Longo Prazo;
  • Definição dos papéis do Conselho de Administração;
  • Definição do papel do gestor corporativo, além da descrição exata de suas funções, de maneira a nortear sua conduta e permitir a obtenção de resultados efetivos.

As boas práticas de Governança Corporativa têm a finalidade de aumentar o valor da sociedade, facilitar seu acesso ao capital e contribuir para a sua perpetuação.

Empresas em geral, incluindo as familiares, devem ser administradas por quem entende de gestão. Um negócio de qualidade, lucrativo e bem gerido, encontra-se relacionado à boa governança.

Publicidade

Assim, Governança Corporativa é o conjunto de mecanismos adotados com o objetivo de assegurar que os gestores alocarão os recursos de forma a atender os interesses dos sócios, ou seja, um conjunto de ações administrativas mais justas e com maior transparência.

Com esta providência, qualquer desvio de conduta por parte dos componentes da empresa, deve ser considerado como infração, podendo gerar penalidades, de acordo com a gravidade do ato.

Considerando que a Governança Corporativa é um sistema de regras de natureza procedimental, de cunho ético e moral, sua efetivação dependerá da adesão de todos aqueles que atuam na empresa, às normas comportamentais e funcionais estabelecidas.

O primeiro passo para uma boa sucessão e profissionalização é a governança corporativa. A conduta da família frente aos processos de melhoria irá determinar sua sobrevivência, em tempos de crise econômica, ou mesmo em situações de bonança.

Autor

Sócio-Diretor da Ricca & Associados Consultoria e Treinamento, Conselheiro Fiesp e Conselheiro do COMPI – Conselho Superior da Micro, Pequena e Média Indústria , sócio da Revista Empresa Familiar. Consultor especializado em Empresas Familiares. Certificado em Governança Corporativa pela SQS Suíça e Fundação Vanzolini. Idealizador e apresentador do Programa Vida de Empresário.

No Clube Acionista você tem acesso aos principais formadores de opiniões do mercado. Através de análises diárias entre diversos especialistas do país. Tudo isso em um só lugar!

Informações + Recomendações de investimentos em um só lugar

Compartilhe esse post nas suas redes!

Você pode se interessar por

Leia também

Publicidade

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão. Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso. Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Esse site usa cookies para personalizar o conteúdo, propagandas e acompanhar o tráfego de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.