VALE (VALE3): Estado de Minas diverge em valores com a cia para reparação de Brumadinho

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Tire dúvidas sobre investimentos

Receba notícias pelo Telegram

Ocorreu uma nova etapa do processo de negociação da Vale com instâncias governamentais, para discutir os valores envolvidos na reparação de Brumadinho (MG) devido ao rompimento da mina de Córrego do Feijão.

Esta foi a audiência de mediação do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc), órgão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

Os entes governamentais pediram uma quantia de R$ 54 bilhões (quase US$ 19 bilhões) em Ação Civil Pública (ACP) para a mineradora; enquanto que a empresa havia provisionado um total de US$ 6 bilhões, equivalente a R$ 33,6 levando em conta o câmbio atual.

A Vale, por sua vez, encomendou um estudo à consultoria Tendências, cujo parecer, assinado pelo ex-ministro Maílson da Nóbrega; aponta que o valor pedido pelos representantes do Estado “baseia-se em premissas que não têm amparo na teoria econômica”.

Em nota, a Vale informou que segue mantendo diálogo construtivo com o governo de Minas e instituições de Justiça federais e estaduais para o benefício do Estado e da população.

A companhia completou dizendo que uma nova audiência está marcada para 9 de dezembro e disse que ontem ficou acordado que o pagamento emergencial será estendido até o fim do ano. Até então o pagamento ia até novembro.

Impacto: Marginalmente Positivo. O mercado havia precificado no pregão de ontem que algo positivo e conclusivo pudesse ocorrer durante a audiência. O resultado foi a extensão do prazo do pagamento emergencial até o final do ano e uma nova audiência marcada para 9 de dezembro.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também

Conheça o Painel Acionista: em um só lugar tudo o que você precisa saber sobre investimentos