PetroRio registra EBITDA ajustado de R$ 306 mi no 2T20

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Receba notícias por Whatsapp

Receba notícias pelo Telegram

Ativa

A PetroRio alcançou, no segundo trimestre de 2020, resultados favoráveis, com aumento da produção de óleo e redução de custos operacionais. Apesar do cenário desafiador, o EBITDA Ajustado (incluindo hedge) no período atingiu R$ 306 milhões, com alta de 5% na comparação com o segundo trimestre de 2019. Nos seis primeiros meses do ano, a rubrica ficou em R$ 545,3 milhões, um crescimento de 75% frente a igual período de 2019.

O desempenho foi impulsionado pela estratégia acertada da companhia de fazer, em janeiro deste ano, hedge para proteger o fluxo de caixa contra a queda nos preços do óleo tipo Brent. Os contratos de hedge permitiram que a PetroRio atravessasse o período de preços baixos mantendo suas vendas efetivas de óleo a US$ 53,1 por barril no segundo trimestre, assegurando o aumento do EBTIDA Ajustado considerando as operações de hedge.

‘Diante de um trimestre tão desafiador e sem precedentes para produtores de óleo no mundo, a PetroRio firmou-se entre as empresas mais resilientes do setor. Nosso modelo de negócios foi novamente testado, com o preço do Brent por quase dois meses abaixo de US$ 30. Durante este período de adversidade, nosso time respondeu com agilidade, mantendo o foco na saúde, segurança; além da readequação dos custos operacionais, preservação da liquidez da companhia e a busca por sinergias’, destacou Roberto Monteiro, CEO da PetroRio.

A combinação desses esforços resultou em uma redução, pelo sexto trimestre consecutivo, do lifting cost total (custo de extração) para US$ 13,7 no segundo trimestre, representando uma melhora de 43% na comparação com o mesmo período de 2019. A perspectiva é de uma diminuição ainda maior de custos quando da integração dos campos de Polvo e Tubarão Martelo, formando um único polo produtor ligado ao FPSO OSX 3.

No segundo trimestre, a produção da PetroRio apresentou aumento de 17% em relação ao mesmo período de 2019 – para 23,4 mil barris dia. O resultado reflete especialmente da aquisição de 18,26% do Campo de Frade; concluída no quarto trimestre de 2019, e da bem-sucedida campanha de perfuração de 2019/2020 em Polvo. As sinergias operacionais e logísticas entre os dois campos contribuíram para a mencionada redução de custos da companhia.

No campo de Frade, o volume produzido teve incremento de 36,2% em relação ao segundo trimestre de 2019. No Campo de Polvo, a produção trimestral cresceu 11% na comparação com o segundo trimestre do ano passado em razão da entrada em operação de um novo poço novo poço produtor em março deste ano.

Apesar do bom desempenho operacional, o resultado líquido do segundo trimestre foi impactado por efeitos não-caixa relacionados principalmente à variação cambial. Tais ajustes não trouxeram impactos no caixa da companhia, uma vez que as receitas e o caixa são predominantemente dolarizados. Desse modo, o resultado líquido (ex-IFRS 16) do trimestre foi negativo em R$ 76 milhões.

Alavancagem

Mesmo com as adversidades agravadas pela pandemia de Covid-19, a PetroRio conseguiu reduzir os níveis de endividamento; terminando o segundo trimestre de 2020 com o indicador de dívida líquida/EBITDA de 2,1 vezes.

A repactuação da dívida com a subsidiárias da Chevron contraídas para a aquisição do campo de Frade; com o alongamento dos pagamentos, melhorou substancialmente a liquidez da companhia em 2020 e 2021.

Reapresentação espontânea dos resultados de períodos anteriores

Após sugestão da nova auditora externa Ernst & Young sobre a interpretação de determinadas normas contábeis e premissas utilizadas nas demonstrações financeiras anteriores, a administração da PetroRio optou por efetuar alterações e reapresentar espontaneamente as demonstrações dos períodos 2017, 2018, 2019 e as informações trimestrais primeiro trimestre de 2020.

As mudanças mais significativas ocorreram em 2019, quando os ajustes geraram impacto positivo de R$ 202 milhões no resultado do ano. Com isso, o lucro líquido de 2019 alcançou R$ 837,9 milhões. Os principais efeitos contábeis foram a alteração na taxa de desconto da provisão do abandono dos campos da companhia – o que reduz o passivo em R$ 145,9 milhões no ano, melhorando o resultado; alterações dos laudos de alocação do preço pago na aquisição de Frade; e tributos diferidos passivos apresentados pelo líquido com o ativo de impostos diferidos e com reconhecimento de impostos sobre diferenças temporárias.

Esses três ajustes mais representativos somados alcançam efeito positivo de R$ 165 milhões no resultado de 2019. Os demais ajustes de menor impacto resultam em um impacto positivo de R$ 37 milhões.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Publicidade

Leia também

Destaques da bolsa ativos durante o pregão - das 10h as 17h - Fonte: Google Finance - delay aprox. de 20 min.

*Dados inativos fora do horário do pregão.