IGP-M: o que é e como funciona?

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Tire dúvidas sobre investimentos

Receba notícias pelo Telegram

Provavelmente você já deve ter ouvido falar do IGP-M, principalmente se mora de aluguel, pois este é o indicador utilizado para reajustar o valor.

Basicamente os índices de preços são indicadores econômicos ligados a inflação, portanto, ele informa o aumento dos preços e a perda do poder de compra da moeda. Por este motivo é importante entender sobre o IGP-M, pois ele é determinante para o seu dia a dia e para a hora de escolher onde investir seu dinheiro – optando por algo de qualidade que seja superior ao aumento dos preços para garantir seu poder de compra – .

IGP-M

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) foi criado no final dos anos 1940 para medir o movimento dos preços de forma geral, calculado todos os meses pela FGV e divulgado no final de cada mês.

O indicador é referência nas correções de preços de diversos ativos, como:

Em alguns títulos do Tesouro Nacional, depósitos bancários pós-fixados com prazo acima de uma ano, contratos de aluguel, mensalidades de escolas e universidades, algumas modalidades de seguros, determinados planos de saúde, tarifa de energia elétrica e etc.

Composição do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M):

60% do Índice de Preços por Atacado (IPA): indicador que mede a variação dos preços no mercado atacadista, principalmente nos produtos agropecuários e industriais antes do consumo final.

30% do Índice de Preços ao Consumidor (IPC): índice que considera as despesas habituais de famílias com nível de renda entre 1 e 33 salários mínimos em 7 das principais capitais do país.

10% do Índice Nacional de Custo de Construção (INCC): indicador que acompanha a evolução dos custos do setor de construção que incluem preços de materiais, equipamentos, serviços e mão de obra.

A diferença ente IGP-M, IGP-10 e IGP-DI

São indicadores parecidos que possuem a mesma formação, contudo, a principal diferença está no período em que são coletados os dados, veja:

IGP-M: Mede a variação entre o dia 21 do mês anterior e o dia 20 do mês de referência.

IGP-10: Mede a variação entre o dia 11 do mês anterior e o dia 10 do mês de referência.

IGP-DI: Mede a variação entre o dia 1 do mês anterior e o dia 30 do mês de referência.

Pode parecer irrelevante acompanhar este índice, no entanto, um rendimento que esteja se valorizando acima da inflação é uma garantia de que seu dinheiro não perderá poder de compra com o tempo.

Portanto, pessoas que sabem acompanhar os indicadores econômico e compreendem sua importância levam vantagem na hora de escolher o melhor investimento.

Acompanhe os indicadores econômicos por aqui.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também

Conheça o Painel Acionista: em um só lugar tudo o que você precisa saber sobre investimentos