Governo diz querer dar transparência a atos necessários para sancionar Orçamento

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
O secretário especial de Relações Governamentais da Casa Civil, Bruno César Grossi de Souza, disse nesta sexta-feira, 23, que o governo quer dar transparência aos atos que foram necessários para sancionar o Orçamento de 2021. “O atos deram segurança jurídica para sanção do Orçamento”, completou.

O presidente Jair Bolsonaro vetou R$ 10,5 bilhões em emendas do relator e R$ 1,4 bilhões em emendas de comissões – totalizando R$ 11,9 bilhões. Além disso, o governo vetou os R$ 19,8 bilhões em dotações orçamentárias.

“Do total vetado, R$ 2 bilhões foram de ações discricionárias incluídas pelo Congresso Nacional”, explicou Grossi.

Ele lembrou que o mesmo valor vetado foi encaminhado em novo projeto ao Congresso de crédito suplementar para cobrir despesas obrigatórias que haviam sido subestimadas. “O governo atuou para reverter redução de despesas obrigatórias feita pelo Congresso”, enfatizou.

Na sanção do Orçamento deste ano, o governo ainda bloqueou mais de R$ 9 bilhões em despesas discricionárias. “Bloqueamos despesas para fazer frente às projeções que temos até o fim do ano. Se essas projeções não se confirmarem, podemos reduzir bloqueio, que foi um trabalho preventivo, dar tranquilidade à gestão do orçamento. Se for necessário, utilizaremos esse bloqueio para a recomposição de despesas discricionárias”, afirmou.

Receba conteúdos diariamente por e-mail

Estadão Conteúdo

Estadão Conteúdo

"O Estado de S. Paulo" é o mais antigo dos jornais da cidade de São Paulo ainda em circulação . Em 4 de janeiro de 1875, ainda durante o Império, circulava pela primeira vez "A Província de S. Paulo" - seu nome original.

Você pode se interessar por

Publicidade

Receba notícias pelo Telegram

Leia também

Tire dúvidas sobre investimentos

Últimas atualizações sobre

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.