Com alta histórica da taxa Selic, como ficam os investimentos em renda fixa?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

De acordo com as expectativas, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central elevou a taxa básica de juros (Selic) a 5,25% na última quarta-feira (4). O aumento foi de 1 ponto percentual, chegando a maior alta desde 2003.

A nova mudança impacta em aplicações financeiras que alteram-se de forma completamente ligada à Selic. Algumas dessas aplicações são: a poupança, títulos do Tesouro Direto e fundos de renda fixa.

Nesse cenário, mesmo com a enorme alta, esses investimentos continuam em desvantagem quando a inflação (8,35% no acumulado de 12 meses) é colocada em cena.

Inflação é o maior problema da renda fixa

De acordo com cálculos realizados por especialistas, tanto a poupança, Tesouro Selic e CDBs (Certificados de Depósito Bancário) continuam perdendo para a inflação.

No entanto, vale lembrar que uma carteira de investimentos equilibrada não se resume à rentabilidade. É necessário levar em consideração a liquidez do investimento, ou seja, aplicações nas quais são fáceis e rápidas para solicitar o resgate do dinheiro.

“Ainda que a inflação esteja mais alta que a taxa de juros, a renda fixa ajuda a proteger uma parte do patrimônio. Se não colocasse em aplicação alguma, a perda para a inflação seria ainda maior”, afirma Paula Sauer, doutora em planejamento financeiro.

Com alta histórica da taxa Selic, como ficam os investimentos em renda fixa?
Ilustração investimento em renda fixa com alta da Selic

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tesouro Selic para longo prazo

Em suma, o Tesouro Selic se apresenta como uma opção viável de investimento para aqueles que são mais conservadores. Dessa forma, o investimento paga 100% da taxa Selic, mais 0,194% ao ano.

Porém, o investidor precisa prestar atenção ao investir nesse tipo de renda fixa, pois ao resgatar os recursos antes do prazo pode haver perda de dinheiro, assim como pagamento de taxas.

CDBs para curto prazo

Assim como acontece com o Tesouro Direto para o longo prazo, acontece com os investimentos em CDBs para prazos mais curtos. Isso porque, assim como a poupança, esse tipo de investimento é garantido pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC).

No entanto, na poupança o rendimento só acontece na data de aniversário da conta. Já com os CDBs, a rentabilidade é recalculada diariamente.

Mas, vale ressaltar que é necessário se atentar. No caso da poupança, o rendimento é o mesmo em qualquer instituição financeira, já o CDBs apresentam variações de acordo com o banco em que estiver investido.


OPORTUNIDADES EM UM SÓ LUGAR

Venha conhecer o Clube Acionista, a plataforma que reúne recomendações de mais de 60 especialistas de mercado em um só lugar. A facilidade de não precisar sair procurando por boa informação em diferentes canais. O cadastro é totalmente gratuito. Aproveite!

Você também pode acessar tudo sobre onde investir no Portal Acionista e gratuitamente pelo nosso canal do Telegram.


1Bilhão Educação Financeira - Gueratto

1Bilhão Educação Financeira - Gueratto

Matérias por 1Bilhão - Educação Financeira; Fabrizio Gueratto; e Gueratto Press.

Você pode se interessar por

Publicidade

Leia também

Tire dúvidas sobre investimentos

Últimas atualizações sobre

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.