Carteira de Investimentos: como montar de acordo com seu perfil

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Receba notícias por Whatsapp

Receba notícias pelo Telegram

Uma carteira de investimentos é basicamente uma forma de organizar onde você pode distribuir o seu dinheiro. Desta forma, você consegue fazê-lo render mais e com segurança.

O segredo de grandes investidores para montar uma carteira de investimentos de qualidade parte de uma simples frase, muito conhecida, “nunca bote todos os ovos em uma mesma cesta”. Um princípio que serve para qualquer pessoa e em qualquer nível de conhecimento e/ou financeiro.

Todo investidor possui uma coisa em comum: quer ganhar dinheiro. A grande diferença é a forma como você quer conseguir isso, ou seja, de maneira conservadora, moderada ou agressiva. Muitas vezes, estratégias simples podem fazer toda a diferença para aumentar a qualidade, manter a segurança e diminuir os riscos. Para isso, a diversificação se torna a maior aliada para ir em busca de seus objetivos.

Veja com mais detalhes

  • Para que serve uma carteira de investimentos
  • Perfil de Investidor
  • Monte e diversifique a sua carteira
  • Objetivos
  • A regra dos investimentos
  • Leia, compare e decida

Para que serve uma carteira de investimentos

Uma carteira de investimentos serve para escolher os tipos de aplicações que você irá investir. Podendo variar entre diferentes modalidades, níveis de risco, segmentos, setores e etc. A escolha é muito pessoal e está muito em linha com o seu perfil de investidor.

A diversificação serve para distribuir o dinheiro em diferentes ativos (aplicações) disponíveis no mercado, desta forma, você consegue maximizar os retornos para um dado risco de acordo ao seu perfil.

O principal motivo para se investir em diferentes aplicações e distribuir o dinheiro de forma diversificada é em virtude de que ninguém pode garantir um futuro. Existem possibilidades, projeções e muitos especialistas criando suas expectativas, algumas vezes acertadas outras não. Portanto, a diversificação protege você nos contratempos e permite ganhos surpreendentes em outros momentos.

De forma mais direta, a economia vive em ciclos e os cenários oscilam. Um grande exemplo é o atual momento macroeconômico: Economia mundial em crise, Estados Unidos e China batalhando por melhores resultados e nosso país (Brasil) com a necessidade enorme de melhorar economicamente. Desta forma, cada medida, pode afetar positivamente como negativamente os preços dos ativos, tornando praticamente impossível saber de forma precisa como serão os rendimentos dos investimentos no longo prazo.

Isso explica a necessidade de conhecer o seu perfil de investidor, pois assim é possível entender o quanto de risco você está disposto a se expor nos investimentos. O quanto menos riscos, menor o ganho e menos chance de perder dinheiro; quanto maior aptidão ao riscos, mais chances de ganhar (assim como de perder).

Perfil de Investidor

Saber que tipo de investidor você se considera é o ponto de partida para começar a traçar estratégias de investimento ou, melhor dizendo, é por onde se inicia o planejamento para investir o dinheiro. O perfil do investidor, normalmente, é classificado em três estilos: conservador, moderado e agressivo.

Conservador

Busca o menor risco possível. Costuma priorizar a segurança e liquidez (facilidade de movimentar o dinheiro) nos investimentos. Geralmente concentrados em renda fixa. Alguns investidores neste perfil podem chegar a investir em renda variável (normalmente ao redor de 10%), sendo uma quantidade mínima de seu capital.

Moderado

Deseja uma rentabilidade melhor. É aquele investidor que gosta de segurança, mas pode se arriscar um pouco mais, realizando investimentos mais diversificados. Calculam os riscos de perda e se protegem com investimentos mais seguros, distribuindo seus investimentos entre renda fixa e renda variável (costumam investir em: renda fixa, fundos, bolsa, tesouro, etc.)

Agressivo

Busca o lucro, não teme ao riso e entende sobre a possibilidade de perdas maiores. O investidor neste perfil, geralmente, tem maior conhecimento do mercado, busca a maior rentabilidade possível, mesmo que tenha que se expor aos riscos que o mercado oferece (investindo cerca de 60% em renda variável – bolsa, câmbio, fundos, ETFs, índices, opções, etc). Normalmente, apesar de possuir estratégias agressivas, investem uma quantia razoável em renda fixa com o objetivo de proteger o patrimônio.

Monte e diversifique a sua carteira

Os ganhos dos seus investimentos depende muito da forma como você organiza as suas aplicações. E a rentabilidade por ser comparada de diversas formas, ou via diversos indicadores, por exemplo, via desempenho do CDI, inflação, Selic ou até da Bolsa. Portanto aplicar em investimentos que atribuem suas performances a estes indexadores é uma alternativa interessante para começar a escolher os produtos para aplicar.

Portanto, sua carteira pode ser montada com diversas opções e distribuídas de forma percentual (%) quanto aplicar em cada investimento. Podendo contar com produtos do Tesouro Direto, rendas fixas privadas (CDB, LCI, LCA, etc), Fundos de Investimentos, Bolsa e muito mais que oferecem diferentes tipos de rentabilidade.

Nossa sugestão para quem deseja começar a investir é que você sempre se proteja antes de começar a arriscar, ou seja, comece com uma reserva de emergência, avance via alguns produtos de renda fixa e, na sequência, vá para os investimentos em renda variável.

Objetivos

Definir objetivos é um passo importante para qualificar a sua carteira. Saber o que você deseja e para quando facilita na hora de escolher os investimentos.

As metas podem ser atribuídas entre curto, médio e longo prazo, assim como, permite que você saiba o que é necessário para alcançar o objetivo.

A regra dos investimentos

Se você quer mais retorno, precisa se expor aos riscos. Simples assim.

Esta regra fica mais clara em nosso atual momento de juros baixo. Você vê Selic em seus menores valores da historia, fazendo a renda fixa render cada vez menos e com um cenário indicando que será assim por mais algum tempo.

Portanto se você quer mais retorno em momentos como este, vai precisar se expor aos riscos. Com criatividade para diversificar sua carteira, apetite ao risco e mercados mais sofisticados, como: Fundos de Investimentos, Fundos Imobiliários, Bolsa e etc.

A rentabilidade precisa ganhar da inflação. Se nenhuma atitude for tomada para atingir este objetivo, a possibilidade é alta de ter rendimentos iguais a zero ou negativa. Portanto, independe de seu perfil de investidor, considere e pesquise sobre os rendimentos de cada produto.

Leia, compare e decida

Independente em qual etapa você esteja em seus investimentos, saiba que nenhum perfil de investidor é permanente, podemos passar por todos eles ao longo da vida. Desta forma, sempre sugerimos aos nossos leitores que acompanhem as ideias dos especialistas, compare o que cada um está comentando e decida aplicar no investimentos que lhe seja confortável.

Acompanhe as Carteiras Recomendas, pois nelas você encontrará diversas sugestões e muitos comentários e projeções de analistas para cada sugestão. Assim, você pode montar uma carteira equilibrada de acordo aos seus desejos.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Publicidade

Leia também

Destaques da bolsa ativos durante o pregão - das 10h as 17h - Fonte: Google Finance - delay aprox. de 20 min.

*Dados inativos fora do horário do pregão.