ELETROBRAS (ELET3): Sem viabilidade de privatização no curto prazo, executivo deixa a empresa

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Tire dúvidas sobre investimentos

Receba notícias pelo Telegram

Wilson Ferreira Júnior renunciou do cargo de presidência da Eletrobras e isto praticamente coloca um ponto final nas esperanças do mercado quanto à privatização da gigante estatal elétrica.

Muitos que vislumbram investimento em empresas com chances de serem privatizadas, já estavam apostando que o processo avançasse ao longo de 2020. No entanto, com a pandemia, este era o ano decisivo para que a empresa passasse ao controle do capital privado.

O principal entusiasta do projeto e responsável por recolocar a Eletrobras nos trilhos, Wilson Ferreira Júnior justificou sua decisão de abandonar o cargo com um recado de que: em sua avaliação, a privatização não se viabiliza no curto prazo.

Os Ministérios da Economia e Minas e Energia se apressaram em garantir que a privatização se mantém independentemente do contratempo, após a saída do executivo. O conselho de administração da estatal também buscou transmitir a investidores uma mensagem de continuidade: ontem, o presidente do colegiado, Ruy Schneider, condenou “conclusões precipitadas”. Ainda, destacaram que renúncia teve origem em questões de foro íntimo.

Impacto: Negativo. A saída do executivo do cargo de presidência por acreditar que a privatização não deve se consolidar no curto prazo; acaba desanimando o mercado que aguardava ansiosamente pelo seguimento do procedimento. No entanto, o conselho da empresa já buscou transmitir aos investidores uma mensagem de continuidade.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também

Leia também

Conheça o Painel Acionista: em um só lugar tudo o que você precisa saber sobre investimentos