Polos que se atraem e se complementam

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Gestora Executiva do Movimento Mulher 360 estreia como colunista do MIT Sloan Management Review Brasil. Psicóloga e psicopedagoga, especialista em direitos humanos e mundo corporativo, Margareth Goldenberg atua há 27 anos em frentes de responsabilidade social, educação, diversidade e equidade de gênero em grandes corporações, se dedicando a quebrar a distância entre os polos e fomentar a equidade nas empresas, em todos os escalões.

Na estreia como colunista do MIT Sloan Management Review Brasil, Margareth fala sobre como a equidade de gênero se tornou essencial para a sobrevivência dos negócios, das marcas e das empresas e traz dicas de como líderes e equipes podem encontrar o equilíbrio com colaboradores de diferentes gêneros.

Lei o artigo abaixo, intitulado “Polos que se atraem e se complementam”.

Em “Super-homem”, Gilberto Gil canta: “um dia vivi a ilusão de que ser homem bastaria. Que o mundo masculino tudo me daria, do que eu quisesse ter. Que nada, minha porção mulher que até então se resguardara, é a porção melhor que trago em mim agora. É o que me faz viver”.

Na vida e nos negócios o embate “homens versus mulheres” saiu de moda faz tempo e nunca trouxe bons resultados, afinal, era uma farsa. Equipes produtivas, que atingem e ultrapassam metas, são as que conseguem chegar ao equilíbrio, com a representatividade de gênero justa.

Claro que homens e mulheres possuem algumas habilidades mais presentes, afinal, a vida e a nossa cultura nos moldam para que possamos dar conta dos muitos recados. Mas não é uma competência ou outra que define o time. A junção do todo pode, realmente, levar ao sucesso.

postura feminina mais empática encaixa-se muito bem à capacidade masculina de ser objetivo e chegar direto ao ponto. A busca pelo poder, normalmente endereçada aos homens, tem tudo a ver com a resiliência, comumente vista como característica das mulheres. Nada disso funciona isoladamente.

Dois polos

As equipes bem equilibradas entre os dois polos são terrenos férteis para a formação de lideranças 4.0: completas, inclusivas e que valorizaram e reconhecem os seus colaboradores. Além disso, esse perfil de liderança garante espaço para o desenvolvimento da equipe como um todo, independentemente do gênero, raça, orientação sexual, idade e condição física das pessoas que integram o time.

Acredito, de fato, na complementaridade, nos olhares diferentes para a mesma situação. Nas soluções inovadoras permeadas de características diversas. Naquilo que envolva todo mundo e não deixe ninguém de fora. Na inclusão que percebe a presença dos vieses inconscientes, discute sobre eles e toma atitudes intencionais para superá-los. É o justo e o certo a buscar nas relações profissionais, de negócios e na sociedade.

Vieses culturais

Ao falar de equidade de gênero, vale reforçar, me refiro a todas as mulheres: brancas, pretas, pardas, lésbicas, trans, com e sem deficiência, jovens e seniores. E sabemos que a experiência e as barreiras são diferentes para cada mulher.

Claro que essa tomada de consciência não acontece de um dia para o outro. Faz parte de um processo de transformação cultural, de mindset. Essa mudança muitas vezes é longa e ganha força quando se tem uma aliança com altas lideranças em uma empresa, por exemplo.

No meu trabalho de consultoria, e à frente da gestão executiva do Movimento Mulher 360, tenho me dedicado a quebrar a distância entre os polos e fomentar a equidade nas empresas, em todos os escalões. Uma boa parte das mais de 90 corporações que acompanho já avançaram muito nesse sentido e outras estão bem encaminhadas.

Entretanto, todas as corporações entenderam o quanto se ganha quando a equidade está, de fato, enraizada no negócio. As pesquisas também mostram essa realidade, que é global. A pauta ESG não me deixa mentir.

ALERTA: MUDANÇAS EM CURSO

Em resumo, a sociedade está de olho nas posturas e causas das marcas. O que era “mimimi” se tornou vital para a sobrevivência dos negócios. As marcas e empresas que não priorizarem a equidade não irão sobreviver a estes tempos e viverão solitárias, no limbo do esquecimento.

Receba conteúdos diariamente por e-mail

Movimento Mulher360

Movimento Mulher360

Referência no engajamento de empresas na promoção da equidade de gênero e empoderamento feminino. Atuamos em 3 dimensões: fomento, sistematização e disseminação de conhecimentos e práticas com o objetivo de acelerar o avanço da equidade de gênero nas empresas e nas suas cadeias de valor.

Você pode se interessar por

Publicidade

Receba notícias pelo Telegram

Leia também

Tire dúvidas sobre investimentos

Últimas atualizações sobre

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.