Publicidade

O que precisamos fazer para não parar até assumir a liderança

Tempo de leitura: ‍

Imagem: Freepik

Há algumas semanas a Islândia parou. País com pouco mais de 370 mil habitantes quantidade aproximada da capital do Estado do Espírito Santo, Vitória, viveu um dia com escolas fechadas, atrasos nos metros, e quartos de hotel sujos, serviço essencial, já que sua principal atividade econômica é o turismo. Nação com um PIB (Produto Interno Bruto) per capita da ordem de 74 mil dólares, viu suas mulheres com mais de 50 anos realizarem uma greve simbólica de 1 dia – aderida e estimulada, inclusive, pela sua Primeira Ministra. Elas pressionam pelo fim da desigualdade salarial e da violência de gênero.

Uma pesquisa da Think Olga, divulgada pela Folha de S. Paulo no final de outubro, mostrou que as brasileiras estão doentes! Que elas adoecem mais do que a média global, com prevalência de transtornos mentais e por uso de substância. E que isso se agravou após a pandemia: 45% de nós têm transtornos mentais, representamos 67% dos novos casos de transtornos e 68% dos casos de ansiedade. Segundo o estudo, 86% das brasileiras consideram ter muita carga de responsabilidade superior ao que dão conta, e 48% sofrem com situação financeira apertada. E elencaram as três principais insatisfações em suas vidas: situação financeira, capacidade de conciliar diferentes áreas de suas vidas e trabalhado.

Bournout

Ou seja. Nós precisamos de ajuda! Quantas de nós já tiveram burnouts e não tiveram condições de diagnosticar e tratá-lo? As organizações que nos empregam têm um papel fundamental nesta jornada por maior (auto)cuidado e em criar condições de caminharmos para um quadro de equidade!

No mês passado, a pesquisadora e professora de Harvard, Claudia Goldin, foi reconhecida com o Prêmio Nobel da Economia. É a terceira vez, desde 1968, ano da criação dessa premiação, que a honraria é destinada a uma mulher. Esse fato já seria importantíssimo e simbólico, não fosse o foco do seu trabalho ser tão importante. Claudia estuda a participação da mulher no mercado de trabalho e a equidade entre casais desde o início dos anos 90, quando se formou em Economia e foi uma das primeiras mulheres a cursá-lo na instituição.

Após trinta anos pesquisando, o que ela nos mostra é mais visível hoje. Além de sentir na pele, estamos falando sobre isso. E entre 5 descobertas que essa trajetória demostra, detalhas pela Forbes Brasil, há três delas que reforçam o papel das empresas na reversão do que podemos considerar um cenário coletivo de burnout feminino:

  • Mentoria acelera a carreira das mulheres;
  • A desigualdade no mercado de trabalho aumentar e afeta mais após a primeira gestação;
  • O trabalho flexível pode ser uma arma para a equidade de gênero.

As empresas têm um papel fundamental na construção de uma jornada mais empática, possível e construtiva para as mulheres. Hoje, de forma geral, quem está fazendo mais pelas mulheres são elas mesmas. Os grupos de relacionamento e as mentorias têm sido um caminho. E eles podem ser uma inspiração e serem exercitados dentro das organizações, com o apoio institucional dos homens. Já que as mulheres ainda não passam dos 13% a 17% dos cargos de CEOs no Brasil, segundo a Talent Group. A institucionalização de uma diversidade e boas práticas de equidade tem se mostrado o caminho mais frutífero que vemos hoje nas empresas. Mas, infelizmente, ainda está restrito a um grupo seleto e mais estruturado de companhias.

Por Grazieli Binkowski. É integrante e líder do Grupo 80 em 8 do Núcleo Porto Alegre do Grupo Mulheres Brasil. É Jornalista com uma trajetória de mais de 20 anos em Assessoria de Imprensa e Comunicação Organizacional, com atuação na área de Mercado de Capitais e Negócios, Cultura, Educação e Inovação. Desde 2022, trabalha com foco no Relacionamento com a Imprensa para o ecossistema nacional de inovação. É uma das idealizadoras da página Mulheres em Ação junto ao Portal Acionista. Perfil no LinkedIn.

Publicidade
Grupo Mulheres do Brasil

Grupo Mulheres do Brasil

O Grupo Mulheres do Brasil nasceu em 2013, com um objetivo em comum entre mulheres, construir um Brasil melhor a partir do protagonismo feminino. Hoje, somos mais de 80 mil mulheres integrantes no Brasil e no exterior. Atuamos em causas sociais, políticas e econômicas, apoiando projetos existentes e criando iniciativas que promovam a transformação do nosso país. Somos uma rede suprapartidária feminina, sem fins lucrativos de relevância pública e social, com objetivo de colaborar com a construção de um país melhor. No Brasil atuamos com 104 núcleos, através de 22 comitês. O núcleo Porto Alegre hoje é composto por 10 comitês. O comitê 80 em 8 tem como propósito atuar para reduzir as desigualdades entre homens e mulheres no mundo corporativo. Nosso plano de ação visa a aumentar a participação das mulheres nos altos cargos de direção das empresas, incluindo seus Conselhos de Administração, para que as mulheres participem da tomada de decisões estratégicas e possam colaborar com a sua visão sobre investimentos e negócios.
Grupo Mulheres do Brasil

Grupo Mulheres do Brasil

O Grupo Mulheres do Brasil nasceu em 2013, com um objetivo em comum entre mulheres, construir um Brasil melhor a partir do protagonismo feminino. Hoje, somos mais de 80 mil mulheres integrantes no Brasil e no exterior. Atuamos em causas sociais, políticas e econômicas, apoiando projetos existentes e criando iniciativas que promovam a transformação do nosso país. Somos uma rede suprapartidária feminina, sem fins lucrativos de relevância pública e social, com objetivo de colaborar com a construção de um país melhor. No Brasil atuamos com 104 núcleos, através de 22 comitês. O núcleo Porto Alegre hoje é composto por 10 comitês. O comitê 80 em 8 tem como propósito atuar para reduzir as desigualdades entre homens e mulheres no mundo corporativo. Nosso plano de ação visa a aumentar a participação das mulheres nos altos cargos de direção das empresas, incluindo seus Conselhos de Administração, para que as mulheres participem da tomada de decisões estratégicas e possam colaborar com a sua visão sobre investimentos e negócios.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão. Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso. Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Mais destaques

Mês das Mulheres: Carol Paiffer, CEO da Atom

Neste mês de março, Mulheres em Ação traz conteúdos especiais, pontuando o feminino e todo seu universo. Começamos com a história da CEO da Atom S/A, Carol Paiffer (foto), contada por ela mesma neste artigo: Trabalhar, estudar e se inspirar! Onde nasce um empreendedor? Muitas pessoas me perguntam quando comecei

Os principais erros na declaração do IR e como evitá-los

O mês de março está chegando e com ele o temido leão começa a bater na porta de todos os contribuintes, com isso começam as dúvidas e inseguranças na hora de preencher a declaração de Imposto de Renda (IR), preparei nove dicas com os principais erros pra você ficar atento.

Irani (RANI3) entra para o Índice Teva Mulheres na Liderança

Uma das principais indústrias de papel e embalagens sustentáveis do Brasil, a Irani conquistou mais um reconhecimento em relação à igualdade de gênero. A companhia passou a integrar a carteira do Índice Teva Mulheres na Liderança.  Promover mais mulheres a cargos de liderança é uma das metas da Irani em

Mais lidas

ESPERE! Antes de sair...

Aproveite a oportunidade que não pode ser deixada para depois.

Esse site usa cookies para personalizar o conteúdo, propagandas e acompanhar o tráfego de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.