Necton recomenda ação para resiliência em meio ao coronavírus

Elite

Confira a empresa com excelente operacional adicionada pela Necton em sua carteira de dividendos. A corretora optou por focar em setor não muito afetado pelo coronavírus. Além disso, os analistas da Necton também deram sua opinião sobre o cenário atual do mercado.

Opinião dos analistas da Necton

Apesar de cenário negativo, que ainda pode acarretar futuras novas quedas, os analistas destaca alguns pontos que os deixam menos apreensivos com os possíveis desdobramentos desse vírus.

Assim, o primeiro ponto a se observar é que a curva de ascensão dos países em quarentena vem apresentando gradual queda. Além disso, outro ponto que chama atenção são os estímulos macros a nível global utilizados, através da política monetária e fiscal.

Enfim, de acordo com o economista-chefe André Perfeito: “Acreditamos que este mau humor nos mercados é passageiro, logo não recomendamos venda de ativos estratégicos para o longo prazo neste momento.”

Necton indica Transmissão Paulista (TRPL4)

A ISA CTEEP é a maior empresa privada de transmissão do setor elétrico brasileiro. Por meio de suas atividades e de suas controladas e coligadas, a Companhia atua em 17 estados do País (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Rondônia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins, Maranhão, Piauí, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Espírito Santo e Bahia), e é responsável por aproximadamente 33% de toda a energia elétrica transmitida  pelo Sistema Interligado Nacional (SIN).

Resiliência e demais características

Resiliência operacional, previsibilidade e geração de caixa robusta estão entre as características que propiciam interessante distribuição de proventos no setor.

Bons dividendos

A Transmissão Paulista é um dos destaques, com payout de cerca de 100% nos últimos anos, e um yield de mais de 7,12% no acumulado dos últimos 12 meses.

Perspectivas de crescimento

A companhia possui sólido portfólio de crescimento, com 10 empreendimentos de construção, que vão adicionar R$ 489 milhões à sua receita anual permitida até 2023 (alta de 16% frente a RAP atual).

Dessa forma, o recebimento anual de cerca de R$ 1,5 bilhão, até meados de 2024, referente a indenização de ativos, também corrobora boas perspectivas.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Leia também