Publicidade

Movimentação na curva de juros: o que esperar e onde investir?

Tempo de leitura: ‍

Imagens Canva

Novamente presenciamos uma movimentação na curva de juros de forma oposta em relação ao mercado internacional. Enquanto rendimento dos títulos de 10 anos encerrou a sexta-feira em 4,44% ao ano, após atingir a mínima de 4,28% na quinta-feira, por aqui não conseguimos acompanhar catalisando um aumento nas taxas de juros locais em todos os prazos.

O maior estresse ocorreu nos vértices de 2 a 3 anos, com uma elevação média de 0,55 pontos percentuais, enquanto os vértices de 5 anos subiram 0,42 pontos percentuais. Na curva de taxas reais (IPCA+), houve uma variação média de +0,24 pontos percentuais nos vértices de 1 a 3 anos, enquanto os prazos mais longos oscilaram em torno de +0,14 pontos percentuais.

Curiosamente e divergindo do Boletim Focus desta segunda-feira (10), para os próximos 12 meses, a curva de juros sugere um retorno próximo a 11,0% para o CDI, indicando um possível aumento na taxa Selic. O cenário fiscal brasileiro é o principal desafio do momento e que permanece incerto, com medidas arrecadatórias insuficientes para reverter o déficit das contas públicas. Governo e Congresso ajustaram a meta fiscal, mas novas medidas aumentam a incerteza.

A semana promete ser movimentada com a divulgação do IPCA de maio no Brasil e do CPI nos Estados Unidos, além da decisão sobre a taxa de juros pelo comitê de política monetária americano. Dessa forma, apesar do cenário desafiador, oportunidades em renda fixa podem surgir.

Estratégias para navegar com a movimentação na curva de juros

A sugestão segue na adoção de uma abordagem equilibrada observando o aumento dos rendimentos do Tesouro Direto. Conforme diversos analistas, os atuais níveis de rendimentos carregam potencial de valorização relevante no médio e longo prazo.

Chama a atenção os título IPCA+ com taxas de 6,30% com vencimento intermediário (2029). Contudo, o preferido dos analistas ainda é o IPCA+ 2035, também usado como referência e comparação de rentabilidade com os FIIs.

Dependendo da composição da sua carteira e o seu perfil de investidor (conseguindo respeitar o médio/longo prazo ou até carregar até o vencimento), os títulos estão com um janela interessante para alocação. A diversificação entre diferentes prazos, indexadores e emissores podem ajudar a mitigar o risco e capturar oportunidades em diferentes cenários econômicos.

Atualmente, ações do setor de Utilities e Commodities e FIIs de Tijolos apresentam potencial de valorização no longo prazo interessante para montar posição. Fique atento aos diferentes espaços no Clube Acionista e aproveite os espaços. O momento nos leva para um viés de compra e não de venda.

Nunca foi tão importante observar diferentes opiniões para encontrar oportunidades. Transforme a volatilidade em oportunidades de crescimento e prosperidade financeira no longo prazo.

Boletim Focus (10.06.24): Mais uma semana com projeção de inflação subindo

Revisões dos dados e projeções do Boletim Focos. Divulgada todas as segundas-feiras pelo Banco Central do Brasil contendo resumo das expectativas de mercado a respeito de alguns indicadores da economia brasileira.

IPCA/24:ALTA de 3,88% para 3,90%
IPCA/25:ALTA de 3,77% para 3,78%
PIB/24:ALTA de 2,05% para 2,09%
CÂMBIO/25:ALTA de R$5,05 para R$5,09
SELIC/24:ALTA de 10,00% para 10,25%
SELIC/25:ALTA de 9,18% para 9,25%
Fonte: Banco Central – Boletim Focus

Rendimentos dos títulos do Tesouro Direto

Alta volatilidade nos rendimentos dos títulos públicos impacta a rentabilidade anual e o preço unitário – se a taxa sobe, o preço cai e vice-versa – .

Fonte: Tesouro Direto 10/06/2024

Quer saber quais as recomendações para investir na renda fixa? Veja as análises e sugestões conforme diversos analistas no Clube Acionista, por aqui.

Publicidade

Este post está disponível na íntegra no Clube.Acionista

Picture of Gustavo Guerses

Gustavo Guerses

Especialista em Investimentos e Gestão CEA; CFG e CGA pela Anbima, Corretor de Capitalização Seguros e Previdência pela ENS, Promotor de Crédito e Correspondente no País pela ANEPS e Conselheiro do Portal Acionista. Te ajudo a construir uma carteira de investimentos. Agende uma consulta aqui.
Wealth Manager CEA CEA
Picture of Gustavo Guerses

Gustavo Guerses

Especialista em Investimentos e Gestão CEA; CFG e CGA pela Anbima, Corretor de Capitalização Seguros e Previdência pela ENS, Promotor de Crédito e Correspondente no País pela ANEPS e Conselheiro do Portal Acionista. Te ajudo a construir uma carteira de investimentos. Agende uma consulta aqui.
Wealth Manager CEA CEA

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria, quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão. O conteúdo da publicação pode conter elementos de texto gerados por inteligencia artificial. Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso. Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Mais destaques

BDRS: commodities e empresas de tecnologia seguem na ponta 

Investir em empresas estrangeiras deixou de ser o bicho-papão há muito tempo. Está cada vez mais fácil ter uma carteira BDR à brasileira e com bons ativos. O Acionista destaca mensalmente o panorama macro desta modalidade.  Para junho, é bom que o investidor saiba que a bolsa americana segue sendo

Fundos Imobiliários envergam, mas não quebram

O mês de maio terminou com a sensação de que foi atípico para todo mundo. Fora as questões da economia e mercado financeiro, a tragédia climática no Rio Grande do Sul se tornou um case mundial sobre a importância de se olhar para as mudanças climáticas. Inclusive alguns Fundos Imobiliários

Tesouro IPCA+ 6,30%; projeção de inflação subindo e mais

Nos últimos dias os juros no Brasil se estressaram e elevando os rendimentos dos títulos do Tesouro IPCA+. Para os próximos 12 meses, o movimento sugere um retorno próximo a 11,0% para o CDI, indicando um possível aumento na taxa Selic. O cenário fiscal brasileiro permanece incerto, com medidas arrecadatórias

Libere todas as recomendações para investir

Mais lidas

Esse site usa cookies para personalizar o conteúdo, propagandas e acompanhar o tráfego de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.