Corretoras de valores aumentam receita e investimentos mesmo na crise

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Tire dúvidas sobre investimentos

Receba notícias pelo Telegram

“Aumentou a compreensão de que é necessário não só guardar dinheiro, mas também fazê-lo render e entender como funciona o mundo dos investimentos”

Com a volatilidade causada pela crise por conta da pandemia do novo coronavírus (covid-19), a expectativa era que o número de investidores na bolsa de valores caísse. Mas o cenário é outro, segundo os dados da B3. Entre março e abril, a bolsa registrou mais de 400 mil novos investidores. Atualmente, conta com 2,385 milhões de CPFs cadastrados. Em abril, cerca de R$ 4,36 bilhões em investimentos estrangeiros foram retirados. A retirada de investimentos estrangeiros no Brasil superou a da crise de 2008. Entretanto, este aumento no número de pessoas físicas investindo gerou um fluxo positivo de R$ 5,66 bilhões no mesmo período.

O Sócio-Diretor da Nova Futura Investimentos, João Ferreira, explica que o crescimento de pessoas físicas cadastradas acabou de certa forma amortecendo os impactos da retirada estrangeira. “Esses dados de crescimento cooperaram para que a retirada de investimento estrangeiro não trouxesse impactos tão grandes. Tanto que o Ibovespa fechou o mês de abril com alta de 10,25%, recuperando algumas perdas que aconteceram neste período”. Ferreira pontua que as corretoras sentiram o impacto positivo deste aumento e que o momento de pandemia pode ter despertado as pessoas para a necessidade de investir. “As pessoas começam a buscar por corretoras agora. Aumentou a compreensão de que é necessário não só guardar dinheiro, mas também fazê-lo render e compreender como funciona o mundo dos investimentos”, afirma. Além disso, Ferreira ressalta que a Nova Futura tem notado não só a entrada de novos clientes, mas também uma mudança nos hábitos de investidores já cadastrados. “A Nova Futura percebeu um aumento significativo no número de cadastros, até mesmo clientes já cadastrados começaram a investir após a crise ocasionada pelo Covid-19. O ritmo de 15 mil novas contas ao mês foi intensificado a partir de fevereiro”.

Para o Executivo, a saída considerável de investimentos estrangeiros já vinha surgindo antes da pandemia. “Isso se dá muito por conta do coronavírus. Mas só em janeiro, cerca de R$ 15 bilhões em investimentos estrangeiros foram retirados. Então, vale ressaltar que os indicadores econômicos brasileiros já estavam deixando os investidores estrangeiros inseguros”, afirma. Ferreira destaca que outro fator foram as reduções na taxa de juros, que também acabaram por tirar a atratividade do Brasil no cenário externo. “Os cortes na taxa Selic também tiraram um pouco a atratividade do país. Enquanto nossos juros ficarem no patamar atual, extremamente baixo e a turbulência política se manter, continuaremos a ver o real depreciado”, finaliza.

Sobre a Nova Futura Investimentos

Sócia-fundadora da BM&BOVESPA, a Nova Futura Investimentos, foi fundada em 1983, atua nos mercados de ações, futuros, renda fixa e commodities e seguros. Com presença nacional, a instituição financeira conta com 21 escritórios espalhados por diversas cidades do país. Ao longo de mais de três décadas de existência, se consolidou como uma das maiores e mais independentes casas de investimentos do Brasil.

Com tradição no mercado institucional, vem se tornando referência no varejo, oferecendo a mesma qualidade já ofertada ao mundo empresarial agora também para pessoas físicas. Em 2017, confirmando a tradição de excelência, a corretora recebeu o selo Nonresident Investor Broker, que reconhece a estrutura organizacional e tecnológica especializada na prospecção de clientes, prestação de serviços de atendimento consultivo assim como execução de ordens e distribuição de produtos da BM&FBovespa para investidores não residentes.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também

Leia também

Conheça o Painel Acionista: em um só lugar tudo o que você precisa saber sobre investimentos