Publicidade

COMO DESENVOLVER SUA EMPRESA FAMILIAR PARA AS PRÓXIMAS GERAÇÕES

Tempo de leitura: ‍

A trajetória da empresa familiar é muito emblemática. O fundador identifica uma oportunidade de negócio, inicia um empreendimento e assume inúmeros sacrifícios. São problemas financeiros, ausência da família, e tantos outros dilemas que enfrentará durante sua jornada em virtude do seu comprometimento com o negócio.

Nos últimos anos o brasileiro se viu obrigado a empreender para conseguir uma renda e manter sua família, sendo que a quase totalidade destes empreendimentos se configura como sendo de natureza familiar.

Nessa ansiedade, muitos conseguem abrir o seu próprio negócio, e desejam desenvolver a empresa colocando nela seu DNA. O fundador terá que enfrentar muitas dificuldades antes da estabilidade, independentemente do tamanho do empreendimento.

O maior desafio, porém, é perpetuar a empresa para as próximas gerações. Os maiores questionamentos são: Como transferir o conhecimento sobre a trajetória da empresa? Como fazer com que os sucessores compreendam as características do negócio profundamente? Como agir para os conflitos vinculados às disputas internas não se instalem na empresa e na família?

Depois dos árduos anos para consolidar sua empresa no mercado, o fundador tem o dilema da perpetuação para resolver.

A sucessão deve ser planejada e formalizada com antecedência. Não se pode deixar que o acaso resolva os problemas relativos a passagem de uma geração para a outra.

Qualificar os sucessores é fundamental para a continuidade dos negócios, e esta é uma tarefa de responsabilidade do fundador. Ele conhece o caminho percorrido pela empresa, ele entende profundamente seu cliente e concorrente, além de ter implementado os valores praticados na organização. Portanto, o fundador é a mola mestra de toda a estrutura empresarial que ele quer deixar para as próximas gerações. Ele precisará se responsabilizar por definir as regras da sucessão, e a forma pela qual os sucessores devam ser qualificados.

Devido essa falta de planejamento sucessório, somente 30% das empresas familiares sobrevivem à segunda geração.

Para mudar essa estatística, é necessário que o fundador da empresa busque alternativas para formalizar o processo sucessório, por meio de práticas de Governança Corporativa. Estas regras vão definir a maneira pela qual a empresa caminhará, as regras para prestação de contas entre os sócios. Estas normas instituídas minimizam, significativamente, os problemas decorrentes dos conflitos entre parentes.

Muitas vezes, em virtude das relações próximas e do envolvimento emocional entre parentes, as empresas recorrem a consultorias especializadas em Governança Corporativa e Sucessão Familiar, com o intuito de mediar o processo, e auxiliar na estruturação de normas que sustentarão a empresa na sua caminhada rumo à perpetuidade.

Porém, para que o sonho de continuidade se torne realidade, é fundamental que o fundador prepare seu sucessor, que transmita seus valores e reforce o contorno cultural da organização, acompanhe o processo de qualificação de perto, e principalmente, auxilie nas dificuldades que o sucessor encontrar.

Separar as questões familiares dos assuntos empresariais também é um passo importante. Este é um problema frequente, que desajusta muitas empresas familiares.

Todos os pontos descritos anteriormente envolvem o conceito de PROFISSIONALIZAÇÃO dos negócios de família.

A profissionalização trará para empresa maior credibilidade junto ao mercado e, por conseguinte, melhores resultados corporativos.

Definitivamente, a empresa familiar é um grande negócio, mas tem como principais desafios: elaboração e implantação de regras para a sucessão, atualização dos negócios, criação de lideranças, e o desenvolvimento de práticas de transparência e prestação de contas. Este é o desafio para a perpetuação do sonho do fundador.

Publicidade
Domingos Ricca

Domingos Ricca

Sócio-Diretor da Ricca Associados, Conselheiro Fiesp e Conselheiro do COMPI - Conselho Superior da Micro, Pequena e Média Indústria , sócio da Revista Empresa Familiar. Consultor especializado em Empresas Familiares. Certificado em Governança Corporativa pela SQS Suíça e Fundação Vanzolini. Idealizador e apresentador do Programa Vida de Empresário.
Domingos Ricca

Domingos Ricca

Sócio-Diretor da Ricca Associados, Conselheiro Fiesp e Conselheiro do COMPI - Conselho Superior da Micro, Pequena e Média Indústria , sócio da Revista Empresa Familiar. Consultor especializado em Empresas Familiares. Certificado em Governança Corporativa pela SQS Suíça e Fundação Vanzolini. Idealizador e apresentador do Programa Vida de Empresário.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão. Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso. Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Mais destaques

Comunista! Fascista!

Outro dia escrevi uma coluna “Os mercadores da noite” que repercutiu bem entre os assinantes leitores. Mas não foi unanimidade. Um deles me chamou de ”esquerdalha” e disse que eu estava caducando.

Deus e dinheiro: Nem tudo é exploração e polêmicas

Atualmente, quando esses dois assuntos se encontram, não é difícil achar pessoas no qual o primeiro sentimento que vem é o de desconfiança. Estou falando de Deus e dinheiro. Dessa forma, procurei dois pontos que se diferem, mas que estão relacionados com fé e finanças. Principalmente no meio cristão, para

Mais lidas

ESPERE! Antes de sair...

Aproveite a oportunidade que não pode ser deixada para depois.

Esse site usa cookies para personalizar o conteúdo, propagandas e acompanhar o tráfego de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.