Traders – Poucos conseguem sobreviver negociando no mercado financeiro

Traders

“É fácil entrar no mercado financeiro, mas é difícil permanecer nele” 

O número de investidores que operam na bolsa de valores tem crescido consideravelmente. Desde o dia 1° de janeiro deste ano, o crescimento foi de quase 100%. Além disso, um estudo realizado pela ANBIMA, aponta que os investimentos movimentaram no Brasil pelo menos R$ 3 trilhões no primeiro semestre de 2019, sendo que, mais de 60% veio do varejo, acumulando aproximadamente R$ 2 trilhões. Apesar de rentável no longo prazo, a renda variável, é de alto risco, principalmente quando se trata de fazer day trade, já que o operador deve comprar ações no momento de baixa e vender na alta, de forma ágil, o que exige conhecimento na área. Recentemente, é possível ver que muitas pessoas estão deixando suas carreiras já consolidadas com o intuito de viverem dos investimentos, seguindo a profissão de trader. De acordo com uma pesquisa de perfis feita pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), pelo menos 40% dos investidores são do estado de São Paulo, e as 3 profissões mais comuns entre os investidores são nas áreas de administração, engenharia e análise de sistemas.

Caio Soares, é trader e tem 20 anos, conta que seu intuito quando começou a investir era trabalhar para si mesmo. “Viver dos meus investimentos é o que sempre busquei. Fiquei impressionado em como podia ter bons resultados”. O jovem comenta que começou a fazer cursos e hoje envolve o mercado trader até mesmo em seus projetos da faculdade.

“Em janeiro comecei o curso do Grupo Laatus, focado em formação de traders, e comecei a operar. Hoje, meu TCC é um estudo sobre o caminho de aprendizagem dos traders”, afirma Caio Soares.

Para o Estrategista-Chefe do Grupo Laatus, Jefferson Laatus, o que atrai as pessoas para o mercado financeiro é o fato de ser algo independente.

“No mercado financeiro você não tem um chefe, você só depende do seu esforço, disciplina e dedicação, o que atrai muitas pessoas e muda muito a perspectiva da profissão”, comenta.

Camila Hespanhol, 34 anos, atuava como designer de interiores e deixou a profissão e a cidade para seguir a carreira na renda variável. “Não estava contente com essa profissão e estava em busca de uma ocupação quando descobri o day trade”.

Camila relata que em pouco tempo se organizou e decidiu mudar de cidade para iniciar as operações. “Me apaixonei pela profissão, e em 6 meses mudei para São Paulo para começar a operar no coworking do Grupo”, finaliza.

Segundo Laatus, é comum as pessoas saírem decepcionadas por não obter resultados de forma rápida, mas ele pontua que operar é um processo que leva anos. “Pessoas chegam achando que será fácil e rápido, o caminho é árduo, não é um processo simples, grandes mentes estão dentro do mercado”.

O Estrategista-Chefe diz que quem se interessa pela área deve ter certeza da escolha e consciência de que não é um processo rápido.

“Quem quer levar como profissão deve ter certeza do que quer, deve entender que não é algo lento”.

Jefferson afirma que a profissionalização na área é um processo que leva entre 2 e 4 anos. “Em 4 anos de faculdade você sai formado, um trainee ou algo do tipo, mas não necessariamente um profissional, pois isso exige 6 ou 8 anos. No mercado financeiro, em um período entre 2 e 4 anos, você já é de fato um profissional”.

Laatus recomenda que quem deseja viver dos investimentos esteja munido financeiramente, não só para investir, mas também para se manter durante o processo.

“É importante se preparar e manter boas relações para suportar esse processo, já que leva anos”.

O investidor deve saber lidar com os riscos da profissão para permanecer. “É uma profissão dura que leva tempo e envolve alguns dos maiores medos do ser humano, o medo de errar e o de perder dinheiro. É fácil entrar no mercado financeiro, mas é difícil permanecer nele”, finaliza.  

Sobre Grupo Laatus
Fundado em 2014, o Grupo Laatus conta com uma mesa de operações independente, com 60 traders, que negociam diariamente no Brasil e Estados Unidos. O Grupo também é um dos principais agentes de educação profissional para traders, contando com mais de 4,5 mil alunos formados em seu curso de especialização em Mercado Americano. Atualmente suas turmas contém entre 500 e 800 alunos. Com tamanha expertise e seriedade no trabalho, a Laatus também coordena um dos maiores eventos voltados para o mercado financeiro, o Laatus Summit, que em sua última edição contou com mais de 1000 participantes, e neste ano contará com grandes nomes, como por exemplo: Oscar Schmidt, André Perfeito, Henrique Bredda e Guto Ferreira.