Tesouro Selic com taxa 0, vale a pena investir?

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Receba notícias por Whatsapp

Receba notícias pelo Telegram

Bons lucros em bons investimentos

Multiplicar seu dinheiro: fazer um investimento, comprar ações ou guardar embaixo do colchão? A última opção, nem pensar! Vai que você guarda toda sua grana e, de repente muda a moeda? Pode acontecer! E aí, como fica? Não fica! Brincadeiras à parte, a tarefa de encontrar um bom e rentável investimento não é fácil. 

Primeiramente, seria interessante entender o momento do mercado financeiro, já que é denso em todos os seus aspectos. Estudando as tendências, pode escolher algumas alternativas para que você tenha lucro na aplicação de seu dinheiro.

Da nossa parte, podemos lhe ajudar com informação. 

Tesouro Selic: rentabilidade e taxa zero

Os investimentos em títulos públicos são sempre muito procurados e, por esse motivo o mais demandado, o Tesouro Selic passou por mudanças: boa parte dos investidores não precisará mais pagar a taxa da B3 (Bolsa de Valores do Brasil), que é de 0,25% ao ano. A B3 cobra uma taxa de 0,25% sobre o volume investido para todos os títulos públicos. Como o Tesouro Selic tem uma taxa básica de juros da economia e, ela vem caindo sistematicamente nos últimos anos, optou-se por zerá-la. (Fonte: Banco Central).

Recentemente foi anunciada uma medida que atinge o Tesouro Selic. Vale para quem tem até R$10 mil aplicados nesse tipo de título. Acima desse valor, a taxa volta a ser cobrada, mas apenas sobre o que exceder os R$10 mil. A mudança passa a valer a partir de 1º de agosto de 2020.

Com essa medida, o Tesouro Selic perdeu parte de sua competitividade, se tornando menos atraente, no momento, para aplicação. Resumo: como muita gente investe nesse tipo de título, a B3 e o Tesouro Nacional decidiram zerar essa taxa.

Dançando conforme a música: investir ou desistir?

Com as taxas de juros rumando para as mínimas históricas, a maneira que o brasileiro investe pode mudar. Investir em Tesouro Selic, que antes rendia bem, não oferecia risco, era fácil de aplicar, de resgatar – enfrenta concorrência forte, quando se trata de opções para reserva de emergência.

No auge da volatilidade, causada pela pandemia da covid-19, por exemplo, o Tesouro interrompeu as negociações várias vezes, o que impossibilitava o resgate/saque do dinheiro numa eventual emergência, justamente quando as pessoas estavam precisando de dinheiro. Ponto negativo para o Tesouro Selic.

Contudo, sabemos que, tal mudança não será fácil ou rápida para todos, uma vez que o ambiente de juros baixos é um fenômeno recente. Existe um possível caminho: as ações que pagam elevados dividendos a acionistas.

Investir em ações pode ser uma alternativa

Com esse panorama, cada vez mais os brasileiros terão que migrar para outros rendimentos, para fazer seu pé de meia. 

Na prática, existem alguns setores que podem ser atrativos para investimento, pois, se beneficiam mais que os outros com a queda dos juros – no caso do Selic – como o varejo, locação de serviços e construtoras. Podem ser chamadas de ações mais negociadas, as quais pagam elevados dividendos a acionistas. Outros exemplos desse tipo de empresa são AES Tietê, Taesa, que fazem parte do segmento de geração de energias com lucros consistentes. 

O importante é definir uma linha de raciocínio, entender o momento atual e seguir rumo a um investimento lucrativo. 

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Publicidade

Leia também

Destaques da bolsa ativos durante o pregão - das 10h as 17h - Fonte: Google Finance - delay aprox. de 20 min.

*Dados inativos fora do horário do pregão.

A temporada para ganhar dinheiro com ações está chegando