SUZANO S.A. (SUZB3) vende ativo por R$ 1 bilhão

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Tire dúvidas sobre investimentos

Receba notícias pelo Telegram

Na última semana, a Suzano vendeu ativos florestais e terras para a Bracell por uma quantia superior a R$ 1 bilhão.

A Bracell é uma fabricante de celulose no Brasil, que pertence ao Royal Golden Eagle (RGE).

O movimento tem como objetivo colocar a Suzano mais perto de anunciar a instalação de uma nova fábrica em Ribas do Rio Pardo (MS).

A execução do projeto depende apenas da redução da alavancagem financeira da companhia, que acabou pressionada após a fusão com a Fibria.

Walter Schalka, o presidente da cia, disse que a empresa permanece diligente em relação à disciplina financeira e construirá a nova fábrica assim que as condições financeiras permitirem.

Com o negócio, a Suzano cumpre mais uma meta que havia estabelecido após a fusão com a Fibria; mas num prazo bastante inferior ao previsto: vender R$ 1 bilhão em ativos não estratégicos no prazo de cinco anos.

Impacto: Positivo. A venda aproxima a companhia de anunciar a instalação de uma nova fábrica em Ribas do Rio Pardo (MS), além de fazer com que a mesma cumpra mais uma das metas que havia estabelecido após a fusão com a Fibria, mas em prazo bastante inferior ao previsto.

PLANNER: SUZANO S.A. (SUZB3) – Venda de terras no valor de R$ 1,06 bilhão

A Suzano comunicou aos seus acionistas e ao mercado que fechou a venda de 21.066 hectares de propriedade rural para a Bracell SP Celulose e a Turvinho Participações.

• As terras estão localizadas na região central do Estado de São Paulo;

• A operação será realizada em parte por venda direta e outra parte por cessão dos contratos de arrendamento;

• Fazem parte do acordo florestas já estabelecidas e em crescimento, e o compromisso de compra de volume adicional de madeira;

• O valor total a ser pago para a Suzano é de R$ 1,056 bilhão;

• A consumação da Transação está sujeita à certas condições aplicáveis a este tipo de operação; incluindo a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica – CADE.

Conforme a Suzano, a transação está alinhada com seu plano de desalavancagem da Companhia anunciado ao Mercado e confirma a disciplina financeira adotada pela companhia na execução de sua Política de Endividamento.

A empresa encerrou setembro com uma dívida liquida bastante elevada, somando R$ 68,7 bilhões (5,1x o EBITDA ajustado de 12 meses).

No 3T20 o resultado líquido da empresa foi um prejuízo R$ 1,16 bilhão.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também

Conheça o Painel Acionista: em um só lugar tudo o que você precisa saber sobre investimentos