Publicidade
Publicidade
Publicidade

Setor aéreo eleva estimativa de perdas com a pandemia para US$ 200 bi

Data da publicação

“O Estado de S. Paulo” é o mais antigo dos jornais da cidade de São Paulo ainda em circulação . Em 4 de janeiro de 1875, ainda durante o Império, circulava pela primeira vez “A Província de S. Paulo” – seu nome original.

Data da publicação

Mesmo com a volta parcial das atividades, o prejuízo líquido das companhias aéreas deve atingir US$ 51,8 bilhões em 2021, estima a Associação Internacional de Transportes Aéreos (Iata, na sigla em inglês), acima dos US$ 47,7 bilhões de perdas projetados pela entidade em abril. Isso quer dizer que, ao fim de três anos no vermelho por causa da pandemia de covid-19, o setor poderá perder globalmente US$ 200 bilhões.

Isso ocorrerá, segundo a entidade, porque as perdas de 2020 também subiram, passando de US$ 126,4 bilhões para US$ 137,7 bilhões. Para 2022, as perdas devem se reduzir, mas ainda ocorrer: US$ 11,6 bilhões.

Publicidade

“A magnitude da crise da covid-19 para o setor de aviação é enorme. Já passamos do ponto mais profundo da crise. Embora problemas sérios permaneçam, o caminho para a recuperação está aparecendo”, disse o diretor geral da Iata, Willie Walsh, em comunicado.

Em 2021, a demanda deve ficar em 40% dos níveis de 2019, aumentando para 61% em 2022. O número total de passageiros deve chegar a 2,3 bilhões neste ano, passando para 3,4 bilhões em 2022, mas ainda abaixo dos 4,5 bilhões de viajantes de 2019.

De acordo com Walsh, o mercado doméstico já voltou aos níveis de 2019 no mundo, mas o internacional continuará em baixa. “A retomada não será consistente no mundo. Será mais rentável na América do Norte, por exemplo, mas o ritmo dessa recuperação continua sendo ditado pelos governos e não pelos vírus”, disse, durante reunião anual da Iata.

Metas de emissões

O vice-presidente sênior de meio ambiente e sustentabilidade da Iata, Sebastien Mikosz, reforçou a necessidade de companhias aéreas adotarem medidas para atingir a meta global aprovada por membros da entidade, de zerar emissões de carbono até 2050.

“Vamos para 10 bilhões de passageiros em 2050 e essa estimativa já inclui impactos da covid-19. Se atingirmos essa projeção, teremos que compensar 1,8 bilhão de gigatoneladas de gás carbônico neste ano”, disse, em evento transmitido online.

Segundo o executivo, várias medidas serão adotadas para atingir a meta, como retrofit de aeronaves, eficiência de combustível e a busca para reduzir taxação sobre o desenvolvimento de engenharia.

Mas o grande foco será o combustível sustentável de aviação (SAF, na sigla em inglês). “Nosso foco continuará sendo o SAF, que é relativamente novo, tem 10 anos, mas já conhecemos”, disse.

Autor

“O Estado de S. Paulo” é o mais antigo dos jornais da cidade de São Paulo ainda em circulação . Em 4 de janeiro de 1875, ainda durante o Império, circulava pela primeira vez “A Província de S. Paulo” – seu nome original.

Receba informações do mercado financeiro no seu celular gratuitamente

Compartilhe esse post nas suas redes!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Você pode se interessar por

Publicidade

Leia também

Publicidade

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão. Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso. Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Publicidade

Telegram Acionista

Os principais destaques do mercado! A melhor cobertura.

Esse site usa cookies para personalizar o conteúdo, propagandas e acompanhar o tráfego de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.