Selic-Manutenção da taxa à 2% e aumento da inflação pressionam BC

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Tire dúvidas sobre investimentos

Receba notícias pelo Telegram

Talvez subir a taxa de juros num futuro próximo ou indicar alguma iniciativa mais tranquila em relação aos riscos de desaceleração da economia

No Brasil, o mercado começou a semana respondendo ao nervosismo em relação ao pacote de estímulos americano. Por conta disso, o Ibovespa teve queda de 0,65%, a 101.259,75 e o dólar teve alta de 0,63% frente ao real, cotado a R$ 5,63. Desta forma, a agenda brasileira seg ue a escassez de dados do exterior, apenas com a divulgação semanal do Relatório Focus com as expectativas dos analistas de mercado. Internamente, após o IPCA-15 mostrar aumento de 3,52% ao ano e 0,94% ao mês, fez com que alguns agentes ficassem cautelosos em relação à decisão do Copom nesta quarta-feira, apesar do consenso ser de que o conselho monetário mantenha a Selic em 2%. A perspectiva de crescimento econômico para o fim do ano pode continuar a subir. Todavia, a preocupação com a questão da inflação, de vido o aumento do IPCA-15, pode ser menos otimista. 

Para Pedro Paulo Silveira, Economista-Chefe da Nova Futura Investimentos, a expectativa é a manutenção da taxa de juros à 2%, mesmo com o recente aumento da inflação medida pelo IPCA-15. “Pela última ata do Copom, não espero nenhuma mudança em relação a atual taxa Selic para a reunião desta semana. Acredito que em função do forte aumento da inflação no último número apresentando pelo IBGE, o qual sinalizou mais um avanço, ainda que moderado, em relação às expectativas, somando isso a uma melhora nas probabilidades em relação a taxa de crescimento, este cenário pode levar o Banco Central a fazer uma modificação no comunicado desta quarta-feira, o forward guidance”, explica. 

Segundo o Economista-Chefe, a intenção da instituição seria sinalizar alguma mudança ou decisão diferente do que está sendo aplicado atualmente para um segundo momento. “Talvez subir a taxa de juros num futuro próximo ou indicar alguma iniciativa mais tranquila em relaç ão aos riscos de desaceleração da economia. Isso é o que eu espero por hora, mas não vejo nada de diferente em relação à taxa básica de juros”, completa.

Sobre a Nova Futura Investimentos

Sócia-fundadora da BM&BOVESPA, a Nova Futura Investimentos, foi fundada em 1983, atua nos mercados de commodities, renda fixa, renda variável e seguros. Com presença nacional, a instituição financeira conta com 21 escritórios espalhados por diversas cidades do país. Ao longo de quase quatro décadas de existência, se consolidou como uma das maiores e mais independentes casas de investimentos do Brasil.

Com tradição no mercado institucional, vem se tornando referência no varejo, oferecendo a mesma qualidade já ofertada ao mundo empresarial agora também para pessoas físicas. Em 2017, confirmando a tradição de excelência, a corretora recebeu o selo Nonresident Investor Broker, que reconhece a estrutura organizacional e tecnológica especializada na prospecção de clientes, prestação de serviços de atendimento consultivo assim como execução de ordens e distribuição de produtos da B3 para investidores não residentes.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também