Reserva Financeira, entenda a sua importância e comece já

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Estamos vivendo um momento impar em nossa história. A crise econômica causada pelo Covid-19 destruiu 7,8 milhões de postos de trabalho até o final do mês de maio, segundo o IBGE. Dentre os postos de trabalho perdidos, 5,8 milhões são empregos informais.

Segundo o Instituto Locomotiva, 108 milhões de brasileiros (66%) tiveram renda reduzida por conta da pandemia. Levando a população a um empobrecimento.

Todos nós fomos pegos de surpresa com a pandemia causada pela Covid-19, contudo quem não possuía uma reserva montada está sentindo muito mais os efeitos desta crise.

A reserva financeira precisa ser o primeiro passo a ser dado na formação do plano de investimentos de uma pessoa. Pois imprevistos acontecem a todo momento. O objetivo desta reserva é ser um recurso que esteja disponível a qualquer momento em caso de situações inesperadas. E ela precisa ser o equivalente a uma média de 6 vezes o consumo familiar mensal.

Todas as pessoas devem e precisam ter a reserva financeira. Como não podemos evitar o acaso, podemos tentar diminuir os danos caso aconteçam. Como por exemplo recorrer a empréstimos bancários com altas taxas, entrar no cheque especial ou mergulhar em dívidas no cartão de crédito.

Mas como montar essa reserva?

Comece fazendo uma análise sobre o seu atual padrão de vida e suas despesas essenciais. As despesas essenciais são contas residenciais, alimentação, transporte, saúde e lazer. Por isso uma recomendação de que se faça um levantamento detalhado das necessidades mensais para calcular quanto seria o valor ideal desta reserva.

E como investir para formação da reserva?

Por se tratar de um recurso para urgências, esse investimento não pode estar sujeito a surpresas negativas de rentabilidade e de prazo para resgate. As principais características de uma aplicação adequada para a reserva estratégica são: segurança, liquidez e baixa volatilidade. Em outras palavras: ter baixo risco, poder resgatar a qualquer momento e com baixa oscilação de taxas.

Os produtos mais indicados são os investimentos que remunerem 100% do CDI. Podendo ser um CDB com liquidez diária, LCI e LCA com liquidez diária ou ainda um Fundo de Renda Fixa Referenciado DI.

Uma outra alternativa é o Tesouro Selic. Ele é considerado o investimento mais seguro do Brasil.  E ao investir nele, você estará investindo em títulos emitidos pelo Governo Federal. O Tesouro Selic rende 100% da taxa básica de juros (Selic). Por isso, não corre risco de o investimento valer menos do que o esperado se for resgatado antes do vencimento.

Muitas pessoas ainda pensam na Poupança como um bom investimento para deixar aplicado a reserva, contudo a sua remuneração hoje é de 70% da Selic. A taxa Selic está em 2,25%a.a. e com perspectiva de um novo corte. Além de só render uma vez por mês na data de aniversário, ou seja, a poupança não tem rentabilidade diária. Comparando a rentabilidade da poupança com outros investimentos, ainda assim é bem baixa.

Agora que você já sabe o que é a Reserva Financeira, como montá-la e quais as melhores opções para investir, é hora de começar a poupar. Separe um valor por mês e direcione para o investimento escolhido até chegar ao montante estipulado para sua reserva.

Depois da reserva criada e ter alcançado o valor desejado, ela deverá permanecer aplicada e sem retiradas, a não ser em casos de imprevistos.

Até Breve!

Receba conteúdos diariamente por e-mail

Juliana Barbosa

Juliana Barbosa

Juliana Barbosa é Economista e Educadora Financeira. Especialista em Finanças Empresariais, Gestão Bancária e Gestão Empresarial. Membro da ABEFIN – Associação Brasileira de Educadores Financeiros. Sócia-Diretora da Cifrão Educação Financeira. Franqueada Dsop de Educação Financeira.Instagram |Podcast

Você pode se interessar por

Publicidade

Receba notícias pelo Telegram

Leia também

Tire dúvidas sobre investimentos

Últimas atualizações sobre

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.