Quanto um investidor deve lucrar para compensar as tarifas?

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Tire dúvidas sobre investimentos

Receba notícias pelo Telegram

Como calcular as tarifas para um investidor não perder na compra e na venda de ações da bolsa de valores

O que gira em torno do mercado de ações tem tudo a ver com lucro. Porém, essa é uma questão que deve ser minuciosamente bem calculada. É através dessa conta que, conseguirá embutir as tarifas que serão obrigatoriamente descontadas de suas operações, de compra e venda de ações da bolsa de valores para, então, tirar um total líquido de lucro.

Daremos um pequeno exemplo. Vamos supor que o valor total das ações que vendeu no mês seja inferior a R$ 20 mil. Nessa situação, você não precisará recolher nenhum tipo de imposto. Mas, caso tenha lucro e, as vendas estejam acima de R$20 mil, o pagamento será de 15% do seu lucro, e descontam-se as taxas e corretagens pagas para a corretora. 

Aí, sim você terá que acompanhar bem de perto a rentabilidade das ações para que possa lucrar com seu investimento. Ela indicará o percentual de retorno que terá sobre a quantia que aplicou para comprar os ativos. Bom, o exemplo é simples: se você investiu R$ 5 mil em uma ação e, vendeu tempos depois, por R$ 7,5 mil, isso significa que teve uma rentabilidade de 50%. Não podemos esquecer dividendos, bonificações e juros sobre capital próprio (JCP), que podem elevar o rendimento.

Mas, o grande trio de vilões que traz a rentabilidade das ações para declínio é a união dos impostos, taxas de corretagem e a inflação. Colocando tudo isso na ponta do lápis, o investidor chegará ao valor real da vantagem (ou desvantagem) que obteve ao apostar em determinada ação.

Como entender a diferença entre rentabilidade e lucratividade para investir e obter lucro

Para facilitar a projeção do lucro, também pode ser calculada a rentabilidade de uma ação na qual está pensando em investir. Mas, essa questão entre rentabilidade e lucratividade é uma dúvida que paira sob os investidores.

Obviamente, lucratividade provém do lucro: diferença entre as receitas de uma empresa e seus custos administrativos, tributários e de produção. A rentabilidade, por sua vez, tem mais a ver com a bolsa de valores: é o retorno sobre um investimento e, seu cálculo pode ser feito com base na variação do preço de uma ação, o quanto ela valorizou.

É importante que se pondere a relação entre a rentabilidade alta de uma ação no passado e se compare a mesma situação no futuro. Cuidado com enganos.

Cálculo e emissão do DARF para investidores na bolsa de valores

Para o investidor que negocia ações ou qualquer produto na Bolsa de Valores pode sim, ter de pagar Imposto de Renda, quando efetuar a venda desses ativos. Para fazer o cálculo correto, relacionando o valor das ações com o pagamento do imposto, você pode consultar o site da Receita Federal e, a partir daí gerar o darf online, efetuando o pagamento. E, esse documento se aplica tanto a pessoas físicas, quanto jurídicas.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também

Leia também

Conheça o Painel Acionista: em um só lugar tudo o que você precisa saber sobre investimentos