Quais as previsões da inflação para o último trimestre de 2020?

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Receba notícias por Whatsapp

Receba notícias pelo Telegram

Confira como estarão os preços dos produtos no final do ano e se programe para não passar sufoco e nem acumular dívidas.

Quem trabalha com a economia precisa estar sempre por dentro das previsões para a inflação. Afinal, é fato que as alterações nos índices podem gerar grandes mudanças, as quais possuem forte impacto na economia de todo o país.

Sendo assim, aprender como se proteger da inflação é uma necessidade real, principalmente para quem possui um orçamento mensal justo. Ainda mais nesse ano complicado que estamos passando, com a alta do desemprego e a pandemia do novo coronavírus.

Nesse cenário, acompanhar a alta e a queda dos números também é bastante importante para que seja possível se preparar caso mudanças se façam necessárias.

Já que, em um contexto onde a pandemia tem afetado os mais diversos aspectos sociais, saber quando será necessário economizar é essencial para o planejamento mensal e para conseguir manter as contas em dia.

Expectativa de alta

Recentemente os especialistas voltaram a apontar uma possível alta nos preços para o último trimestre de 2020.

De acordo com a pesquisa Focus, realizada pelo Banco Central, existe uma expectativa de alta para o IPCA. O número que na semana anterior era de 1,94% agora está em 1,99%, com uma tolerância de 1,5 pontos.

Os números estão aumentando durante 6 semanas seguidas, o que representa um cenário assustador para a economia.

Com a população sentindo a alta dos preços em suas compras no mercado, a pressão política ao redor do assunto também começa a gerar tensão.

Situação do PIB

O Produto Interno Bruto ou simplesmente PIB também tem passado por alterações em suas expectativas.

No entanto, ao contrário da inflação, a previsão aqui é que os valores diminuam, o que também representa uma situação delicada para a economia brasileira.

Na semana anterior à última divulgação, as projeções apontavam números de 5,11%. Já na última pesquisa, o número caiu para 5,05% neste ano.

Em relação a 2021, a perspectiva de crescimento que é de 3,5% permanece sem alterações.

Em um cenário de pandemia, esse fator funciona como um calmante para os empresários e empreendedores que temiam ter quedas significativas em seus lucros e em sua receita mensal.

Mudanças nos preços para a população

Como citamos anteriormente, um dos maiores agravantes dessa expectativa de alta da inflação são as consequências sentidas pela população. A projeção de aumento para os próximos meses tem causado temores, tendo em vista que os alimentos da cesta básica já estão alcançando números bastante altos.

Um dos locais que mais é afetado por essa expectativa é o atacado, com uma crescente nos valores de todos os alimentos.

Com isso, a cada dia mais a população aumenta a cobrança ao Estado, que por sua vez, permanece sem manifestar grandes atitudes sobre os cenários. Nesse contexto, ainda não há uma perspectiva de baixa nas expectativas, com tendência de possível aumento também para 2021.

Dicas para evitar a inflação

Tendo em vista a expectativa de alta da inflação, fica evidente a necessidade de buscar meios alternativos para evitar os altos preços. Afinal, mesmo que as pequenas porcentagens pareçam insignificantes, elas possuem grande impacto nos preços dos mercados.

Nesse sentido, alguns caminhos podem ser tomados para driblar esses preços altos. Confira algumas dicas!

Foque no ramo dos investimentos

O ramo dos investimentos sem dúvida alguma é uma das melhores saídas quando o assunto é fugir da inflação. Afinal, ele oferece bons rendimentos, fazendo com que o dinheiro se multiplique em pouco tempo. Sendo assim, é bem bacana para fornecer um auxílio em épocas em que os preços estão subindo constantemente.

Portanto, vale fazer uma análise para descobrir quais nichos estão proporcionando mais lucro. Atualmente um ramo bem bacana é o das fintechs, startups voltadas para a área da tecnologia e para o sistema financeiro.

Sempre faça pesquisas de preço

As pesquisas de preço são outra ferramenta bem bacana para quem deseja driblar a inflação.

Afinal, mesmo que os preços subam de maneira conjunta, ainda assim alguns lugares vão utilizar porcentagens maiores que outros. Portanto, o correto é aproveitar essas diferenças para encontrar os menores preços em todos os locais.

Sendo assim, o ideal é esquecer a rotina de realizar todas as compras do mês em um mesmo mercado ou farmácia.

Rodar entre estabelecimentos distintos no fim pode fazer uma grande diferença no orçamento, permitindo gastar bem menos do que se tudo fosse adquirido no mesmo local.

Compras em maiores quantidades

Conforme citamos anteriormente, o atacado é uma das áreas que mais sofre alterações com a alta da inflação. Nesse cenário, uma das maiores dicas para evitar esse fator é deixá-lo de lado e comprar no varejo.

Ao adquirir produtos em maiores quantidades se torna possível pagar menos e aproveitar descontos em todos os itens. Assim, tem-se uma espécie de estoque, economizando também nas compras para os próximos meses.

No entanto, é preciso sempre ressaltar a importância de comprar com consciência, pois a demanda excessiva dos produtos pode fazer com que o valor deles suba ainda mais.

A alta da inflação com toda a certeza é um fator que afetará todos os brasileiros. Porém, tomando os caminhos e as atitudes corretas, é possível sofrer menos com as consequências negativas e passar pelo período turbulento de forma mais tranquila.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também

Leia também