Por que investir em Itaúsa, segundo BTG Pactual

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

A Itaúsa é uma holding que foi constituída para centralizar a tomada de decisões financeiras e estratégicas das empresas que a compõem. Atualmente, ela detém 37,5% de participação no Itaú Unibanco, 36,7% na Duratex, 28,9% na Alpargatas e 7,7% da Nova Transportadora do Sudeste.

Porém, quando olhamos para o resultado da companhia vemos que 95,5% vem da participação detida no banco Itaú.

Dessa forma, ao calcularmos o valor de mercado justo de Itaúsa, por meio da soma das partes do valor de mercado de cada participação que a empresa possui, e cruzarmos isso com o valor de mercado da companhia, observamos que ITSA4 possui um desconto de holding de 18,6%.

Logo, a compra de ITSA4 nada mais é do que uma estratégia de investimento em ITUB4 com dividend yield alavancado.

Companhias que não se adaptam eventualmente morrem

A administração da companhia está ciente de que empresas que não se adaptam morrem, mas está confiante de que esse não será o caso do Itaú.

Eles estão trabalhando duro para conseguir inovar a forma com que prestam serviços ao seus 55 milhões de clientes.

Durante o Investor Day da APIMEC realizado pelo banco, o que chamou a atenção foi a colocação do CEO Candido Bracher sobre os níveis de satisfação do cliente, falando que a companhia deve passar a se comparar com empresas líderes nesse quesito, como Starbucks e Uber, ao invés de outros bancos.

De acordo com o CEO, o que irá definir o sucesso do banco nos próximos 10 anos será a forma com que irá se adaptar para atender as demandas de relacionamento dos clientes.

Modelo de operação ágil está muito mais maduro para acelerar as novas soluções digitais

O Itaú está muito mais maduro para desenvolver e implementar novas soluções digitais. O novo modelo (mais ágil) abre espaço para que a companhia consiga lançar soluções mais simples que serão evoluídas em estágios futuros. Como um exemplo, o “iti”, que foi lançado como versão beta para teste em maio e lançada definitivamente para os clientes no final de outubro.

O primeiro estágio oferece alguns serviços como uma conta digital com um código QR para pagamento e um chat 100% humano, enquanto que nos próximos estágios serão adicionados novos produtos que variam de remuneração do saldo em conta corrente até cartões de débito e crédito.

Reiteramos nosso viés positivo para o setor bancário baseado nos atrativos níveis de valuation

O Itaú está revisitando todos os seus processos, acelerando o fechamento de agências assim como programas de demissão voluntária, com o objetivo reduzir a folha de pagamento da companhia. O CFO destacou que um dos objetivos estratégicos centrais é tornar o banco mais “leve” do ponto de vista dos custos. Dito isso, acreditamos que boas surpresas devem vir do resultado financeiro da companhia.

Com um mix de produtos cada vez mais voltado para o crédito individual e pequenas e médias empresas (PMEs) – uma tendência que deve se manter pelos próximos anos. A receita financeira do Itaú deve crescer aproximadamente 9% em 2019, no piso do guidance de 9-12%, sendo que nós acreditamos que pode ser ainda mais forte em 2020 mesmo com uma taxa Selic/spreads menores.

Atualmente valendo R$ 90 bilhões, existe dúvida de que o Itaú fez um bom negócio comprando 49,9% da XP?

O Banco Itaú comprou 49,9% da XP por R$ 6,0 bilhões em maio de 2017 (a um valuation implícito de 100% da XP a R$ 12 bilhões ou cerca de 30x P/L de 2017). Em algum momento, o banco pretendia tomar o controle da companhia, mas os agentes reguladores impediram isso de acontecer, permitindo o Itaú deter apenas uma participação minoritária de 49,9%.

A XP já vinha operando muito bem por si só e tudo indica que, com o Itaú como parceiro estratégico, a companhia decolou. Atualmente com um valor de mercado na casa dos R$ 90 bilhões, a participação do Itaú vale algo perto de R$ 45 bilhões, ou seja, cerca de 15% do valor de mercado do próprio Itaú. Alguma dúvida de que o banco fez um bom negócio?

Receba conteúdos diariamente por e-mail

Acionista.com.br

Acionista.com.br

O portal Acionista.com.br aproxima investidores, informações e investimentos com conteúdos atualizados diariamente sobre o mercado financeiro e as companhias abertas nos diferentes meios digitais – website e redes sociais.

Você pode se interessar por

Publicidade

Leia também

Tire dúvidas sobre investimentos

Últimas atualizações sobre

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.