Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Tire dúvidas sobre investimentos

Receba notícias pelo Telegram

A previdência privada é um investimento cada vez mais procurado pelas pessoas e alguns de seus questionamentos se dão pelas suas opções de planos e as siglas PGBL e VGBL.

Para escolher qual melhor plano se encaixa em seus objetivos é preciso entender sobre cada uma dessas opções para fazer a escolha mais acertada para seu futuro.

Pensando em te ajudar nesse aspecto e esclarecer todas as dúvidas sobre o tema, vamos falar sobre o que é PGBL e VGBL, suas particularidades e diferenças. Confira!

Previdência privada

Antes de falarmos de fato sobre essas siglas, é importante dar um breve resumo sobre a aposentadoria privada. Essa modalidade é um investimento de longo prazo, que não está ligado ao sistema do Instituto Nacional do Seguro Social, o INSS. Portanto, ela é complementar à previdência pública e não substitutiva.

A previdência privada pode ser contratada por pessoas físicas em bancos ou corretoras ou oferecidas por pessoas jurídicas, ou seja, quando uma empresa conta com planos privados para seus funcionários.

Diversos são os planos existentes, que são calculados de acordo com o quanto o indivíduo quer investir e quais são seus objetivos para o longo da vida. Dito isso, duas são as categorias existentes da previdência privada: o PGBL e o VGBL.

PGBL – Plano Gerador de Benefício Livre

O Plano Gerador de Benefício Livre é um plano em que o imposto de renda incide diretamente sobre o valor total que irá ser resgatado ou recebido em forma de renda. Ou seja, o imposto se dará não apenas pelo lucro, mas por todo valor existente na conta da previdência, independente do valor e do tempo de resgate.

Os valores pagos nesta opção podem ser deduzidos no Imposto de Renda anual, dentro dos limites de 12% de renda bruta anual do investidor. Para que isso seja possível, é preciso fazer a declaração no modelo completo e contribuir para o INSS.

Esse é um plano indicado para pessoas que possuem renda mais alta e que fazer o modelo completo da declaração do Imposto de Renda.

VGBL – Vida Gerador de Benefício Livre

No caso do VGBL o imposto de renda incide apenas sobre os rendimentos da aplicação, ou seja, não importa o quanto você juntou com seus depósitos, afinal, a tributação será apenas no seu rendimento.

Diferente do PGBL, esse plano não permite dedução anual do Imposto de Renda e pode ser interessante para quem declara direto na fonte e deseja aplicar mais do que 12% da sua renda anual no investimento.

Quais as diferenças entre os planos?

Agora que você sabe quais são as regras do PGBL e VGBL já deu para entender sobre suas diferenças, certo? A grande questão que gira em torno dos planos se dá principalmente pelo Imposto de Renda.

Enquanto o PGBL tributa todo o montante acumulado, o VGBL tributa apenas os rendimentos obtidos ao longo do tempo. Além disso, na primeira é possível deduzir no IR, enquanto no VGBL não.

Os dois planos de previdência privada permitem acumulação de patrimônio e tem objetivo proporcionar renda futura e mensal para os investidores. Mais do que isso, nos dois casos é possível optar pelo recebimento de forma vitalícia por tempo determinado ou por um único pagamento ao final do investimento.

O VGBL funciona também como uma espécie de seguro de vida, afinal, em caso de morte do beneficiário ele pode ser repassado aos herdeiros com agilidade, sem necessidade de inventário ou grandes burocracias.

Como escolher o plano?

Por permitir que seja abatido até 12% da renda bruta anual pelo Imposto de Renda, o PGBL é indicado para contribuintes que fazem declaração completa do IR. Já o VGBL é interessante para quem realiza a declaração simplificada e/ou não contribuem para a previdência social.

As taxas, tanto para PGBL ou VGBL, são calculadas de acordo com os tipos de resgate escolhido e existem tabelas de valores e taxas fixas sobre eles. Tais tabelas são chamadas de progressivas ou regressivas.

Na regressiva, o imposto varia de acordo com o prazo de investimento, ou seja, quanto mais durar o plano, menor será o percentual pago. Já a progressiva se dá de acordo com o valor pago mensalmente, fazendo com que a alíquota varie a cada quantia recebida.

As taxas cobradas nos dois planos são taxa de administração, que em geral varia entre 1,5 e 3%, taxa de carregamento e taxa de saída.

Agora que você sabe mais sobre PGBL e VGBL, já sabe qual plano faz mais sentido para seu perfil? Aproveite nossas explicações e reflita sobre sua previdência privada!

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também

Nossa missão é ajudar você a investir melhor com uma variedade de conteúdos, de diversas fontes. Acreditamos que quanto mais você se informa, melhor você decide!

Conheça o Painel Acionista: em um só lugar tudo o que você precisa saber sobre investimentos