OCDE: Alemanha, Canadá, Itália e Reino Unido defendem acordo por taxação digital

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Tire dúvidas sobre investimentos

Receba notícias pelo Telegram

Os ministros das Finanças de Alemanha, Canadá, Itália e Reino Unido renovaram a defesa por um acordo em nível global para regular a tributação de serviços digitais, durante evento virtual organizado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) nesta quinta-feira.

O debate sobre o tema se intensificou este ano, em meio a divergências sobre a melhor maneira de taxar grandes empresas de tecnologia, como Google e Facebook. Se não firmarem um pacto até julho, vários países prometem agir individualmente e estabelecer regras próprias.

Ministro das Finanças alemão, Olaf Scholz se disse confiante de que uma solução será encontrada. Ele disse que, após conversa recente com a secretária do Tesouro americana, Janet Yellen, teve a percepção de que o novo governo dos Estados Unidos tem interesse em colaborar com outras nações nessa área. “Cooperação internacional é essencial”, ressaltou.

A canadense Chrystia Freeland argumentou que a tributação digital é parte importante do processo de reconstrução da ordem global, com a chegada de Joe Biden à presidência dos EUA. Na visão dela, se cada governo tiver que buscar caminhos individuais, o multilateralismo será prejudicado. “A Covid-19 ressalta a necessidade reformas”, explicou.

No Reino Unido, Rishi Sunak comentou que considera justo que cada país possa tributar lucros gerados em sua jurisdição, o que é dificultado pelo caráter difuso das grandes techs. Para ele, além de modernizar as normas internacionais, um eventual tratado deve incluir também um mecanismo de disputa, para que o cumprimento das normas seja monitorado.

O ministro italiano Roberto Gualtieri, por sua vez, classificou de “urgente” a revisão das diretrizes tributárias mundiais e afirmou que a questão demanda uma solução global. O político acrescentou que os países devem mirar também a simplificação fiscal.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também

Leia também

Conheça o Painel Acionista: em um só lugar tudo o que você precisa saber sobre investimentos