Os dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) avaliaram na reunião de política monetária de 1º e 2 de novembro que o nível dos juros nos EUA ao final do ciclo de aperto monetário se tornou mais importante do que o ritmo de aumento da taxa. “Os participantes concordaram que a comunicação dessa distinção ao público era importante para reforçar o forte compromisso do Comitê de retornar a inflação ao objetivo de 2%”, destaca a ata do encontro, divulgada nesta quarta-feira, 23.

Os membros da autoridade monetária também afirmaram que seria oportuno desacelerar o ritmo de elevação dos juros à medida que a política monetária se aproximasse de uma postura suficientemente restritiva.

Segundo eles, serão considerados na tomada de decisão “o aperto cumulativo da política monetária até à data, a defasagem entre as ações de política monetária e o comportamento da atividade econômica e da inflação e a evolução econômica e financeira”.

A maioria substancial dos dirigentes julgou que uma desaceleração no ritmo de alta de juros provavelmente seria apropriada em breve. Um ritmo mais lento nessas circunstâncias permitiria ao Comitê avaliar melhor o progresso em direção às suas metas de máximo emprego e estabilidade de preços, avaliam os integrantes, de acordo com o documento.

Os dirigentes concordaram em ajustar política de forma apropriada de acordo com riscos, afirma a publicação. “As defasagens e magnitudes incertas associadas aos efeitos das ações de política monetária sobre a atividade econômica e a inflação estão entre as razões apontadas para a importância dessa avaliação”, aponta a ata. Alguns participantes comentaram que a desaceleração do ritmo de crescimento poderia reduzir o risco de instabilidade no sistema financeiro, segundo o documento.

Alguns outros dirigentes observaram que, antes de diminuir o ritmo dos aumentos das taxas de juros, pode ser vantajoso esperar até que a postura da política fique mais clara em território restritivo e que tenham mais sinais concretos de que as pressões inflacionárias estão recuando significativamente, diz a ata.

Os dirigentes levarão em conta nível de restrição financeira, as condições da economia e a inflação para novas altas de juros, aponta a publicação. No momento, com a política em nível quase suficientemente restritivo, os dirigentes enfatizaram a necessidade de observar a evolução das condições.

Publicidade

CONHEÇA A COBERTURA QUE VAI

AUMENTAR SEU DINHEIRO NOS INVESTIMENTOS

Agendas, Análises, Recomendações, Carteiras e muito mais!