Modalmais: Semana de decisão de bancos centrais

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Tire dúvidas sobre investimentos

Receba notícias pelo Telegram

Na semana passada, a Bovespa fechou com perdas de 2,84% e índice em 98.363 pontos, depois de rabiscar abaixo em 97.757 na última sexta-feira, com o dólar mostrando valorização de 0,86%, em R$ 5,34. O Dow Jones teve queda menor de 1,66%, enquanto o Nasdaq seguiu pressionado nas ações de tecnologia, com perdas de 4,06%.

Hoje mercados tentam alguma recuperação por conta do noticiário sobre retomada de testes com vacinas contra o covid-19, que por sua vez volta a assustar em diferentes países e regiões, com Israel restabelecendo lockdown de três semanas. A Ásia fechou com valorizações durante a madrugada, Europa operando com comportamento misto neste início de manhã e futuros do mercado americano com boa alta. Aqui, não podemos perder o patamar de 98.000 pontos, sob pena de o mercado acelerar vendas e só vai melhorar quando começar a ultrapassar o patamar de 102.000 pontos, numa semana de preparação do vencimento de opções.

A Astrazeneca anunciou rapidamente a retomada de testes com a vacina para covid-19 que tinham sido suspensos na semana anterior e outras farmacêuticas seguem com testes bem-sucedidos. No Japão, Suga foi eleito no final de semana líder do Partido Liberal Democrata e deve ser levado a primeiro-ministro no lugar de Shinzo Abe, mas não deve mudar muito a política econômica.

Na zona do euro, a produção industrial cresceu mais que o previsto em julho com +4,1%, quando a previsão era de +3,8%. Mas a semana é de reuniões de bancos centrais, com o Copom, FED, BOE (inglês) e BOJ (Japão), mas sem expectativas de mudanças, diante das incertezas globais. Mudanças são esperadas na próxima reunião do BCE (BC europeu). Nos EUA, a Oracle venceu comprar as operações da chinesa Tik Tok e Microsoft foi derrotada.

O BIS é que alertou sobre descasamento dos mercados com a economia real e para o elevado volume de recompra de ações que triplicou na última década. Alertou ainda sobre o mercado de imóveis comerciais trazendo riscos ao segmento financeiro, por conta da pandemia. E a OCDE registrou que as economias do G-20 tiveram contração recordes no segundo trimestre.

No mercado, dia de petróleo tentando alguma recuperação coo o WTI em NY ainda com queda de 0,80% (mesmo com furacão chegando aos EUA. O euro era transacionado em alta para US$ 1,187 e notes americanos de 10 anos com juros em 0,66%. O ouro e a prata com altas na Comex e commodities agrícolas com comportamento de alta na Bolsa de Chicago.

Aqui Bolsonaro veta parte do perdão das igrejas e proporá novos instrumentos. Já a semana no Congresso promete ser tensa pois podem ser votados vetos do presidente, principalmente quanto a desoneração da folha de pagamentos. Investidores temem também a paralisação do Congresso por conta da aproximação das eleições, e isso vale também para os EUA com eleições presidenciais e debate em TV.

Na agenda, vamos ter o IBC-BR de julho, uma prévia do PIB, nova pesquisa semanal Focus do Bacen, saldo da balança comercial e, durante a noite, uma bateria de dados da China do mês de agosto. A expectativa é de Bovespa tentando alta, dólar mais fraco e juros pressionados pela perspectiva de alta da inflação, mas ainda longe da meta até 2021.

Alvaro Bandeira
Sócio e economista-chefe do banco digital Modalmais
Fonte: www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também

Todos os dias diversas Corretoras e Casas de Análise atualizam seus boletins com as principais notícias do mercado de investimento. Acesse agora!