Publicidade
Publicidade
Publicidade

Meirelles vê mudança no teto levar à caminho desastroso

Data da publicação

“O Estado de S. Paulo” é o mais antigo dos jornais da cidade de São Paulo ainda em circulação . Em 4 de janeiro de 1875, ainda durante o Império, circulava pela primeira vez “A Província de S. Paulo” – seu nome original.

Data da publicação

Responsável por propor o teto dos gastos durante sua gestão como ministro da Fazenda, o hoje secretário de Fazenda do estado de São Paulo, Henrique Meirelles, vê a mudança na correção do teto de gastos para abrir espaço para aumento de despesa com o Auxílio Brasil como uma péssima notícia para o país. Ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, ele avaliou que a decisão é grave e tem impacto direto na credibilidade do país. O ex-ministro destaca ainda que a saída do secretário de Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, anunciada há pouco, é simbólica: “Espero que a saída do secretário chame a atenção de algumas pessoas. Os mercados estão dando sinal muito claro do que é inaceitável”, disse.

Para Meirelles, há um conjunto de fatores, que começaram com a possibilidade aberta pelo governo, há alguns meses, de não pagar à vista a conta de precatórios e se estenderam até a negociação de alteração no teto para incluir o Auxílio Brasil, que afetam a confiança no compromisso fiscal.

Publicidade

“É um conjunto de fatores que tira a credibilidade da equipe econômica. Temos um símbolo forte com a saída dos secretários. Eles estão dizendo, de maneira não tão clara, isso: eles tinham um compromisso de cumprir com o regime fiscal e isso não está sendo feito. Eles não tinham mais o que fazer lá”, afirmou.

O secretário de São Paulo disse esperar que haja resistência suficiente para não deixar passar no Congresso a PEC do Precatórios e a mudança no cálculo do teto de gastos. A ideia negociada entre a equipe econômica e a ala política do governo é alterar a correção do teto: hoje, ela é feita usando o IPCA acumulado em 12 meses até junho do ano anterior ao teto vigente. A ideia é alterar para a inflação acumulada de janeiro a dezembro, recalculando os limites desde 2016. Isso abriria espaço de R$ 83,6 bilhões no Orçamento em ano eleitoral.

Meirelles explica que o teto foi idealizado com inflação acumulada até junho justamente para dar previsibilidade ao governo na produção do Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLOA) do ano seguinte. Tendo a correção já calculada, o governo consegue se programar para saber quanto pode gastar.

Para ele, a mudança no teto leva o país para um caminho “quase desastroso”. Ele afirmou que, quando foi instaurado, o teto ajudou o país a recuperar a credibilidade depois de uma recessão – entre junho de 2015 e maio de 2016 – pior do que a causada pelo covid-19. “O teto de gastos foi fundamental para reverter a situação”, disse, citando aumento nos índices de confiança, queda nos juros e na inflação.

Meirelles aponta que a mudança proposta no teto afeta o interesse dos investidores no Brasil e pode fazer com que uma natural entrada de dólares no país, causada pelo aumento no preço das commodities, não ocorra. “(Sem a entrada de dólares no Brasil e com aumento do preço de commodities) Só aumenta preço dos importados, combustível, alimentos. Isso pressiona inflação, obviamente”, pondera.

O ex-ministro destaca ainda que a tentativa de se mexer no dispositivo de controle de gastos mostra uma falha no exercício de priorização de despesas pelo governo. “A finalidade do teto é exatamente estabelecer uma marca que forçasse de fato o Executivo e o Legislativo a escolher prioridades e obedecê-las. O que está se fazendo agora é exatamente não ter prioridades e gastar em projetos eleitoreiros e que têm finalidade de curto prazo em razão da eleição de 2022. Portanto é grave”, sintetiza.

Autor

“O Estado de S. Paulo” é o mais antigo dos jornais da cidade de São Paulo ainda em circulação . Em 4 de janeiro de 1875, ainda durante o Império, circulava pela primeira vez “A Província de S. Paulo” – seu nome original.

Receba informações do mercado financeiro no seu celular gratuitamente

Compartilhe esse post nas suas redes!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Você pode se interessar por

Publicidade

Leia também

Publicidade

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão. Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso. Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Publicidade

Telegram Acionista

Os principais destaques do mercado! A melhor cobertura.

Esse site usa cookies para personalizar o conteúdo, propagandas e acompanhar o tráfego de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.