Itaú/Rodrigues: programa de apoio na crise deve se ‘multiplicar’ no 2º semestre

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Tire dúvidas sobre investimentos

Receba notícias pelo Telegram

O Itaú Unibanco espera que o programa criado para ajudar pessoas físicas e empresas a atravessarem a crise ‘se multiplique’ no segundo semestre. Até o momento, a iniciativa, batizada de Travessia, alongou mais de R$ 40 bilhões em dívidas e concedeu R$ 10 bilhões em crédito novo desde o seu lançamento, há cerca de dois meses. O banco não traçou, contudo, uma meta para a ação, que passa a fazer parte do ‘novo normal’ da instituição em meio à pandemia.

“Não definimos uma meta para o programa. Seria um erro. Esperamos que a adesão ao Travessia ocorra de forma natural e voluntária mediante necessidade efetiva dos clientes”, explicou o diretor executivo do Banco de Varejo do Itaú Unibanco, André Rodrigues, em conversa com a imprensa, na manhã desta terça-feira, 16.

Segundo ele, um total de 2 milhões entre pessoas físicas e pequenas e médias empresas (PMEs) já aderiram à iniciativa. A ação, contudo, foi pensada para um contingente de cerca de 20 milhões.

O programa consiste no alongamento de prazos de empréstimos em até seis anos na pessoa física e até cinco anos para PMEs. Além disso, o banco também ampliou o período de carência ofertado em meio à crise. No caso das pessoas físicas foram concedidos até 120 dias, prazo que chega a 180 dias para pequenas e médias empresas.

Segundo o diretor de Franquias e Estratégia Pessoa Jurídica do Itaú Unibanco, Carlos Eduardo Peyser, o programa Travessia deve ajudar o banco no controle da inadimplência que pode vir a reboque da crise. “Certamente, o Travessia vai permitir que façamos uma provisão menor do que seria necessário se tivermos sucesso com o programa”, disse.

O banco não prevê um colchão para perdas adicional para o programa de prolongamento de dívidas, mas já reforçou suas provisões para devedores duvidosos, as chamadas PDDs, por conta da crise. No primeiro trimestre, o Itaú provisionou cerca de R$ 4,5 bilhões por conta da deterioração do cenário econômico em meio à pandemia do novo coronavírus.

“Fizemos um provisionamento adicional bastante relevante. Estamos vivendo a fase do desenrolar do programa Travessia. Se virmos necessidade (de aumento de provisões) vamos considerar”, afirmou Rodrigues, lembrando que esse exercício é periódico.

Por ora, conforme ele, os primeiros sinais do programa e do índice de inadimplência têm sido até mesmo positivos. Vai depender, porém, da extensão da crise e da velocidade da retomada da economia brasileira.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também

Conheça o Painel Acionista: em um só lugar tudo o que você precisa saber sobre investimentos