IPCA de dezembro é o maior desde fevereiro de 2003; Perfeito prevê alta na Selic

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Tire dúvidas sobre investimentos

Receba notícias pelo Telegram

A alta de 1,35% registrada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em dezembro foi o resultado mais elevado desde fevereiro de 2003, quando havia aumentado 1,57%, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira. Considerando apenas os meses de dezembro, a taxa foi a mais elevada desde dezembro de 2002, quando subiu 2,10%. No mês de dezembro de 2019, o IPCA havia ficado em 1,15%.

Cenário para alta na Selic

A aceleração do IPCA em dezembro e em 2020, acima da esperada pelo mercado, sugere antecipação de alta da taxa Selic, avalia em nota o economista-chefe da Necton Investimentos, André Perfeito.

Juntamente com a primeira prévia do Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), os resultados do IPCA, conforme o economista, devem reforçar a necessidade de aumento dos juros antes do imaginado. “Dão o tom que o BCB Banco Central do Brasil deve iniciar a alta da Selic em breve – acreditamos entre o primeiro e o segundo trimestre – e taxa deve fechar o ano em pelo menos 4%”, estima.

Além de ter a maior variação mensal desde fevereiro de 2003, o IPCA de dezembro anota o maior índice para o mês desde 2002 (2,10%). Em novembro, a taxa fora de 0,89%. Assim, o índice fechou 2020 em 4,52%, acima do centro da meta de 4,0%. Também é a maior taxa desde 2016 (6,29%). Os números superaram as estimativas mais elevadas na pesquisa do Projeções Broadcast, do sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado. Já a primeira prévia do IGP-M de janeiro atingiu 1,89%, após 1,28% em igual leitura de dezembro, conforme a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também

Conheça o Painel Acionista: em um só lugar tudo o que você precisa saber sobre investimentos