Investimento Direto no País soma US$ 5,996 bi em fevereiro, mostra BC

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Tire dúvidas sobre investimentos

Receba notícias pelo Telegram

Os Investimentos Diretos no País (IDP) somaram US$ 5,996 bilhões em fevereiro, informou nesta quarta-feira, 25, o Banco Central. O resultado ficou dentro das estimativas apuradas pelo Projeções Broadcast, que iam de US$ 3,200 bilhões a US$ 7,300 bilhões, mas abaixo da mediana de US$ 6,200 bilhões.

Pelos cálculos do Banco Central, o IDP de fevereiro indicaria entrada de US$ 6,100 bilhões.

No acumulado do ano até fevereiro, o ingresso de investimentos estrangeiros destinados ao setor produtivo somou US$ 11,615 bilhões.

A estimativa do BC é de IDP de US$ 80,0 bilhões em 2020. Este valor, porém, será atualizado na quinta-feira, 26, por meio do Relatório Trimestral de Inflação (RTI), já considerando os efeitos da epidemia do novo coronavírus na economia.

No acumulado dos 12 meses até fevereiro deste ano, o saldo de investimento estrangeiro ficou em US$ 76,664 bilhões, o que representa 4,22% do Produto Interno Bruto (PIB).

Investimento em ações

O investimento estrangeiro em ações brasileiras ficou negativo em US$ 4,428 bilhões em fevereiro, informou o Banco Central. Em igual mês do ano passado, o resultado havia sido negativo em US$ 1,775 bilhão.

No acumulado do ano até fevereiro, o saldo ficou negativo em US$ 6,330 bilhões.

O investimento em fundos de investimentos no Brasil ficou negativo em US$ 112 milhões em fevereiro. No mesmo mês do ano passado, ele havia sido positivo em US$ 303 milhões. No acumulado do ano, houve aportes de US$ 241 milhões dos fundos de investimentos.

Já o saldo de investimento estrangeiro em títulos de renda fixa negociados no País ficou positivo em US$ 1,137 bilhão em fevereiro. No mesmo mês do ano passado, havia ficado positivo em US$ 5,991 bilhões. No ano, o saldo em renda fixa ficou positivo em US$ 6,699 bilhões.

Taxa de rolagem

O Banco Central informou que a taxa de rolagem de empréstimos de médio e longo prazos captados no exterior ficou em 195% em fevereiro. Esse patamar significa que houve captação de valor em quantidade para rolar compromissos das empresas no período.

O resultado ficou bem acima do verificado em fevereiro do ano passado, quando a taxa havia sido de 48%.

De acordo com os números apresentados nesta quarta-feira pelo BC, a taxa de rolagem dos títulos de longo prazo ficou em 139% em fevereiro. Em igual mês de 2018, havia sido de 3%. Já os empréstimos diretos atingiram 267% no mês passado, ante 51% de fevereiro do ano anterior.

No ano até fevereiro, a taxa de rolagem total ficou em 166%. Os títulos de longo prazo tiveram taxa de 99% e os empréstimos diretos, de 218% no período. O BC estima taxa de rolagem de 100,0% para 2020. Este porcentual, no entanto, ainda não leva em conta os efeitos da pandemia do novo coronavírus sobre a economia. A atualização também será feita na quinta pelo BC, por meio do RTI.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também