Investidores de fundos de renda fixa pagam para perder da inflação

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Tire dúvidas sobre investimentos

Receba notícias pelo Telegram

Conforme dados da Anbima, fundos de renda fixa que buscam acompanhar o desempenho do CDI, estão apresentando rentabilidade próxima de 2,02% ao ano.

No entanto, mesmo que estejamos vivendo uma sofisticação dos mercados, a Anbima mostra que mais da metade dos fundos existentes desta modalidade cobram taxa de administração acima de 1%. Ou seja, cerca de mais R$ 300 bilhões em investimentos para perder para a inflação.

O cálculo é simples, como o rendimento está atrelado ao CDI (cerca de 2% ao ano), ao descontarmos a inflação, impostos e taxa de administração o retorno real da aplicação é negativo.

Colocamos dinheiro excessivo em ativos que julgamos entender. Quando a racionalidade entra em jogo, automaticamente nos questionamos, se a garantia disso protege contra o risco.

Não, renda fixa não é garantia contra o risco, você precisa saber onde está colocando seu dinheiro e a indústria dos investimentos só vai mudar quando o investidor se der conta da diferença do que é bom ou ruim.

O mercado de capitais brasileiro está se sofisticando, mas é importante que cada investidor se sofistique também, optando por produtos que geram retorno. A renda fixa (Fundos DI, Tesouro Direto etc.) são produtos fundamentais para o investidor, fazendo parte de outros grupos de ativos também essenciais.

Segundo alguns analistas, nos casos dos Fundos DI, não faz sentindo pagar mais de 0,25% ao ano de taxa de administração que é a mesma taxa de custódia do Tesouro Direto. Se você pagar mais por isso, a rentabilidade precisa ser proporcional ao acréscimo.

O fato de estarmos presenciando um momento de baixo retorno não submete o investidor a aceitar pagar determinadas condições.

A sofisticação vem de se adaptar e perceber o que realmente importa. Perde-se muito tempo procurando corretagem zero, garantia FGC e pouco tempo na pesquisa por produtos de qualidade.

De alguma forma o investidor vai precisar topar pagar para ter melhores retornos, o fato aqui é saber pelo que se está pagando e se isso realmente gerará frutos no longo prazo. Hoje, há mais R$ 300 bilhões topando pagar para perder da inflação. Seu dinheiro faz parte desta parcela?

Fonte: Relatórios Anbima

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também

Conheça o Painel Acionista: em um só lugar tudo o que você precisa saber sobre investimentos