Instituto Aço Brasil pede a Bolsonaro para não reduzir tarifa de importação

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Representantes do Instituto Aço Brasil se reuniram nesta segunda-feira, 14, com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e os ministros da Economia, Paulo Guedes, e da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, para mostrar resultados do setor e manifestar contrariedade à proposta de redução da tarifa de importação do aço.

Na visão do presidente executivo da entidade, Marco Polo de Mello Lopes, não há cenário de excepcionalidade que justifique tal medida. “Nossa previsão de crescimento da produção em 2021 é de 11,3%. Não há risco de crise de abastecimento, como dizem as narrativas de determinados segmentos que têm outros interesses”, argumentou.

No mês passado, a Câmara Brasileira da Construção (CBIC) pleiteou formalmente, perante a Câmara de Comércio Exterior (Camex) do Ministério da Economia, a redução da tarifa de importação da matéria-prima de 12% para 1% pelo período de 12 meses. Conforme o Broadcast já tinha noticiado, a estratégia é provocar choque de oferta, favorecendo a entrada de aço importado no mercado brasileiro, ampliando a oferta do insumo, o que forçaria a redução nos prazos de entrega e preços do aço.

Na ocasião, a CBIC apresentou levantamento referente ao mês de abril com 277 construtoras brasileiras, de acordo com o qual 83,4% delas não recebiam o número de vergalhões encomendados e apenas 7,6% recebiam aço dentro do prazo de 30 dias, prazo comum antes da pandemia.

Para Mello Lopes, a medida mais justa seria desonerar “a cadeia como um todo”, em vez de beneficiar setores específicos. Ele defende abertura econômica gradual, nos termos de um cronograma preestabelecido, que corrija “assimetrias competitivas” entre agentes nacionais e estrangeiros. “Se a política é liberal para abrir, isso tem que ser feito de uma maneira que não prejudique as indústrias.”

Estadão Conteúdo

Estadão Conteúdo

"O Estado de S. Paulo" é o mais antigo dos jornais da cidade de São Paulo ainda em circulação . Em 4 de janeiro de 1875, ainda durante o Império, circulava pela primeira vez "A Província de S. Paulo" - seu nome original.

Você pode se interessar por

Publicidade

Leia também

Tire dúvidas sobre investimentos

Últimas atualizações sobre

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Uma experiência completa de investimentos. Crie sua conta e acesse recomendações e análises na íntegra.

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.