Governo aprova criação de plano para combustíveis sustentáveis e de baixo carbono

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
O governo aprovou a criação de um programa para propor medidas de ampliação do uso de combustíveis sustentáveis e de baixa intensidade de carbono no País. O chamado “Programa Combustível do Futuro” foi aprovado pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) em reunião na terça-feira, 20.

De acordo com o Ministério de Minas e Energia (MME), o programa traz diretrizes que incluem a coordenação interinstitucional e a integração de políticas públicas relacionadas ao setor automotivo, incluindo programas como o Renovabio, o Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel e o Rota 2030.

A intenção é incentivar empresas do setor de óleo e gás a investirem em pesquisa e desenvolvimento relacionados ao programa.

“O programa proporcionará o aumento na utilização de combustíveis sustentáveis e de baixa intensidade de carbono, incentivando o desenvolvimento de tecnologia veicular nacional, tornando a nossa matriz de transporte mais limpa e sustentável”, diz a nota divulgada pela pasta.

O governo também destacou a criação de medidas para introduzir o bioquerosene de aviação na matriz de transporte. Os estudos devem também incluir o setor marítimo. “O Programa proporá medidas para o desenvolvimento de todo o arcabouço legal e regulatório, hoje inexistente, para a tecnologia de captura e armazenagem de gás carbônico.”

Em conjunto, o CNPE aprovou a criação do Comitê Técnico do Combustível do Futuro, que será coordenado pelo MME. O colegiado deverá propor metodologias de avaliação do ciclo de vida completo dos combustíveis e ações para fornecer ao cidadão informações para a escolha do veículo em relação aos aspectos de eficiência energética e ambiental.

Hidrogênio

O governo também determinou a elaboração de diretrizes para o Programa Nacional do Hidrogênio em até 60 dias. Pela decisão do CNPE nesta terça-feira, o trabalho será feito em parceria com os ministérios de Ciência, Tecnologia e Inovação e do Desenvolvimento Regional. A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) também deve apoiar a elaboração das medidas.

De acordo com o Ministério de Minas e Energia, as diretrizes devem prever normas de segurança, desenhos regulatórios e estrutura que permitam competitividade para o uso do hidrogênio em grande escala.

A pasta afirmou ainda que é necessário desenvolver a infraestrutura de produção, armazenamento, transporte e distribuição do hidrogênio, pelo lado da oferta, bem como para a inserção do energético na matriz de consumo em setores como transporte, siderurgia e de fertilizantes.

“No aspecto tecnológico, há inúmeros desafios a serem superados, embora sua produção e utilização já seja realidade em alguns nichos. O armazenamento do hidrogênio é um deles, pois exige elevadas pressões para armazenamento no estado gasoso, ou criogenia para armazenamento no estado líquido”, diz a nota.

Receba conteúdos diariamente por e-mail

Estadão Conteúdo

Estadão Conteúdo

"O Estado de S. Paulo" é o mais antigo dos jornais da cidade de São Paulo ainda em circulação . Em 4 de janeiro de 1875, ainda durante o Império, circulava pela primeira vez "A Província de S. Paulo" - seu nome original.

Você pode se interessar por

Publicidade

Receba notícias pelo Telegram

Leia também

Tire dúvidas sobre investimentos

Últimas atualizações sobre

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Fique por dentro

Se inscreva para ser notificado quando um novo post for publicado.

Além de diversos conteúdos do mercado financeiro em um lugar para você ler, comparar e decidir.

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.