Publicidade
Publicidade
Publicidade

Gestão de Estados deve ter liderança e continuidade, dizem economistas

Data da publicação

“O Estado de S. Paulo” é o mais antigo dos jornais da cidade de São Paulo ainda em circulação . Em 4 de janeiro de 1875, ainda durante o Império, circulava pela primeira vez “A Província de S. Paulo” – seu nome original.

Destaques

Data da publicação

A combinação de liderança do governador, com diagnóstico adequado sobre como conter gastos e ampliar receitas, equipe econômica tecnicamente preparada e continuidade nas políticas públicas faz a diferença para garantir boa gestão das contas dos Estados. E vale bater na tecla: o controle na despesa com o pagamento dos funcionários públicos, ativos e aposentados, é ponto central na boa gestão. A avaliação é dos economistas Guilherme Tinoco e Fábio Giambiagi, especialistas em contas públicas, que organizaram, ao lado de Victor Pina Dias, o recém-lançado livro O Destino dos Estados Brasileiros (ed. Lux). Os três organizadores do livro são economistas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

 

A obra reúne artigos de diversos especialistas em finanças públicas, como Felipe Salto e Vilma da Conceição Pinto, da Instituição Fiscal Independente (IFI) do Senado, Gabriel Leal de Barros, economista-chefe da gestora RPS Capital e ex-diretor da IFI, Sérgio Gobetti, pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e assessor econômico do governo do Rio Grande do Sul, Mauro Benevides, deputado federal (PDT-CE) e secretário de Estado de Planejamento e Gestão do Ceará, e Paulo Tafner, da Fundação Instituto de Pesquisa Econômica (Fipe).

 

Os textos discorrem sobre o quadro fiscal de 12 dos 27 Estados, escolhidos de forma a representar todo o tipo de situação – grandes e pequenos, com contas em dia e desequilibradas, contemplando todas as regiões do País.

 

ALÍVIO. Tanto Tinoco quanto Giambiagi consideram que o pior ficou para trás na crise fiscal dos Estados. De 2014, quando a economia brasileira entrou em recessão, a 2020, quando houve ajuda federal excepcional para os Estados enfrentarem a crise causada pela covid-19, 16 das 27 unidades da federação melhoraram seus indicadores de endividamento. De 2017, fim da recessão anterior à pandemia, a 2020, também houve uma melhora geral em termos do peso excessivo dos gastos com pessoal em relação às receitas.

 

“O objetivo principal do livro é mostrar ao cidadão que o ato de votar conta. Quando escolhemos bons governantes, a vida melhora. Quando escolhemos mal, a vida piora”, afirma Giambiagi, colunista do Estadão. Outro traço comum dos casos de sucesso é a atenção aos gastos com pessoal.

 

“É um tema batido, mas é a realidade. De 60% a 70% das despesas dos Estados são com pessoal, entre ativos e inativos. Um maior controle nessa despesa é fundamental”, diz Tinoco, que atualmente trabalha como assessor econômico do secretário de Estado de Fazenda de São Paulo, Henrique Meirelles.

 

Segundo o economista, isso fica claro no caso de São Paulo. O controle das despesas com pessoal, incluindo aposentados, foi chave. O Estado esteve “na vanguarda” das reformas da Previdência. Agora, afirmou ele daqui para a frente, o desafio é manter os gastos com pessoal controlados e, ao mesmo tempo, com foco em eficiência, avançar na melhora dos serviços públicos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


Encontre o que você precisa

Personalize da forma que achar melhor e tenha o seu acesso conforme a sua preferência:

Em pouco cliques, customize quais assuntos você quer que apareçam na sua home.

Salve conteúdos para ler quando quiser e não perca nenhuma atualização.

Publicidade

Tudo isso pelo Meu Feed, no Clube Acionista.

A transparência para as suas decisões de investimentos.

Encontre relatórios de instituições concorrentes, compare entre as sugestões e deixe de ter que se cadastrar em cada canto da internet para receber suas notificações preferidas.

Conheça o Clube Acionista, a plataforma que reúne diversos especialistas do mercado em um só lugar. A facilidade de não precisar sair procurando por boa informação em diferentes canais.

APROVEITE!

Autor

“O Estado de S. Paulo” é o mais antigo dos jornais da cidade de São Paulo ainda em circulação . Em 4 de janeiro de 1875, ainda durante o Império, circulava pela primeira vez “A Província de S. Paulo” – seu nome original.

Receba informações do mercado financeiro no seu celular gratuitamente

Compartilhe esse post nas suas redes!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Você pode se interessar por

Publicidade

Leia também

Publicidade

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão. Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso. Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Publicidade

Telegram Acionista

Os principais destaques do mercado! A melhor cobertura.

Esse site usa cookies para personalizar o conteúdo, propagandas e acompanhar o tráfego de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.