Funchal: Precisamos voltar a discutir Plano Mansueto e reformulação do RRF

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Receba notícias por Whatsapp

Receba notícias pelo Telegram

O secretário do Tesouro Nacional, Bruno Funchal, defendeu nesta terça-feira, 18, a retomada da discussão do chamado “Plano Mansueto” de ajuste das contas dos governos estaduais, além da reformulação do Regime de Recuperação Fiscal (RRF) dos Estados.

“A melhor alternativa para os Estados após a pandemia é voltarmos a discutir as propostas que já tramitam no Congresso. O projeto do deputado Pedro Paulo (DEM-RJ) traz uma revisão do RRF, melhorando esse instituto para o Rio de Janeiro e para outros Estados que queiram aderir”, afirmou, em videoconferência organizada pelo banco Santander.

O Rio de Janeiro é o único Estado que conseguiu aderir ao RRF, criado ainda em 2017. A adesão ao regime tem sido buscada nos últimos anos pelos governos de Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Goiás.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também

Leia também

Mulheres em Ação