Publicidade
Publicidade

Mulheres em Ação

Finanças e prevenção contra violência à mulher na educação básica

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Duas iniciativas colocam temas fundamentais ao empoderamento feminino na pauta da educação básica para jovens e crianças de todo o Brasil: a prevenção contra violência à mulher e as finanças pessoais.

A Lei 14.164 inclui nos currículos das turmas da educação básica aulas de prevenção de violência contra à mulher e cria a Semana Escolar de Combate à Violência Contra a Mulher durante a primeira semana de março. Os professores poderão escolher a melhor forma de trabalhar o assunto com os alunos. O tema deverá ser adaptado de acordo com a faixa etária dos alunos e com as disciplina.

Na mesma linha, de adaptação do conteúdo ao universo escolar, tem a inserção da educação financeira no sistema básico e público. O tema tem sido capitaneado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) há alguns anos junto aos entes públicos. E depois de uma série de projetos piloto, chega de fato aos espaços de educação.

Publicidade




Em parceria com o Ministério da Educação (MEC), a CVM irá capacitar professores com cursos gratuitos, por meio de um programa de incentivo à Educação Financeira nas escolas a fim de tornar tais temas cada vez mais presentes nas escolas de todo o país. A plataforma desenvolvida está no ar em www.edufinanceiranaescola.gov.br. Os cursos online que já estão disponíveis são voltados para professores do 9º ano do ensino fundamental e da 1ª série do Ensino Médio.

O objetivo é capacitar 500 mil professores das escolas públicas (municipais, estaduais e militares) nos próximos 3 anos para levarem aos jovens tema como planejamento financeiro, gestão das finanças pessoais e investimentos.

Uma das motivações para o Acordo de Cooperação Técnica MEC/CVM que deu origem ao Programa Educação Financeira na Escola é o impacto recente da pandemia nas finanças pessoais e na educação escolar. Além disso, existe baixo grau de educação financeira entre os estudantes, como demonstram as avaliações do PISA de 2015 e 2018.

Os benefícios de ter uma boa relação com o dinheiro atingem não somente o indivíduo, mas também a sociedade, como apontou a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) em meados da década passada (Improving Financial Literacy, Analysis of Issues and Policies. OECD: 2005).

O relatório do Banco Mundial sobre um projeto piloto de educação financeira em escolas públicas brasileiras de ensino médio, entre 2010 e 2011, constatou impactos individuais positivos que sinalizam benefícios para o desenvolvimento do país caso se aplique o projeto em larga escala. Saiba mais!

Fontes: G1, Senado Federal, CVM.

Grazieli Binkowski

Grazieli Binkowski

Grazieli Binkowski é mãe do Miguel e do Yorkshire Lilo, casada com o Erik. Vive em Porto Alegre (RS), gosta de ler (quase de tudo), curte jazz, vinhos e é apaixonada pela cultura francesa. É Jornalista, formada pela PUCRS, com uma especialização em Gestão Estratégica pela UFRGS. Tem transitado pelo mercado financeiro desde a universidade, quando começou a colaborar com o Acionista.com.br. Também tem uma história longa com Organizações Não-Governamentais. Acredita que a profissão que escolheu não é só um ganha pão. E essa impressão tem ficado cada vez mais forte ao passar dos anos. E foi por isso que surgiu o Mulheres em Ação.

Newsletter Mulheres em Ação

Cadastre-se e receba semanalmente as novidades da página e dicas de conteúdos exclusivos.

Você pode se interessar por

Publicidade

Leia também

Acionista consome. Acionista investe.

Você consome das
empresas em que investe?

Receba notícias pelo Telegram

Publicidade

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão. Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso. Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Publicidade

Esse site usa cookies para personalizar o conteúdo, propagandas e acompanhar o tráfego de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.