EUA confirmam corte em cota de importação de aço semiacabado do Brasil

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Tire dúvidas sobre investimentos

Receba notícias pelo Telegram

Terra
O Escritório do Representante Comercial dos Estados Unidos (USTR, na sigla em inglês) confirmou nesta segunda-feira, 31, a redução da cota de importação isenta de tarifas de aço semiacabado do Brasil, de 350 mil toneladas métricas para 60 mil toneladas métricas até o fim de 2020. As cotas para outros tipos de produtos de aço do País foram mantidas, assim como as cotas impostas sobre o aço mexicano.

A magnitude do corte foi adiantada no sábado pelo presidente do Instituto Aço Brasil, Marco Polo Lopes ao Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado). No mesmo dia, o Ministério da Economia e o Itamaraty emitiram nota conjunta comunicando a redução, sem especificar volumes.

De acordo com o USTR, a mudança responde aos impactos da crise do novo coronavírus sobre os produtores de aço americanos. Uma nova rodada de conversas entre as partes ocorrerá em dezembro, de acordo com o USTR, para ficar a cota para 2020. “Neste momento, esperamos que as condições de mercado tenham melhorado”, pontua o órgão em comunicado.

Na nota, o representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, agradeceu ao ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, pelo que chamou de “diálogo construtivo”. “As discussões entre os Estados Unidos e o Brasil sobre o fortalecimento de nossas relações comerciais para o futuro estão indo bem. Nossas conversas bem-sucedidas sobre este assunto comprovam o valor do envolvimento sincero e de boa fé entre os parceiros comerciais”, diz Lighthizer.

México

A cota de importação para todos os tipos de aço mexicano, ao contrário do brasileiro, não sofreu alteração por parte do governo americano. Segundo o comunicado, Washington vai consultar o país latino em dezembro de 2020, para discutir o setor à luz das condições de mercado da época.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também