Publicidade
Publicidade

Emergência climática e metas mais ambiciosas para a NDC brasileira pautam a 3ª edição da Conferência Brasileira de Mudança do Clima

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

EVENTO COMEÇA NA PRÓXIMA SEGUNDA, DIA 27, E TERÁ TRANSMISSÃO ONLINE E GRATUITA. SERÃO CINCO DIAS DE DEBATES, COM A PRESENÇA DE GOVERNADORES, LIDERANÇAS INDÍGENAS, JOVENS ATIVISTAS E ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL



De Plurale

A urgência da pauta climática e de meio ambiente está no centro dos debates da 3ª edição da Conferência Brasileira de Mudança do Clima (CBMC), que começa na próxima segunda, dia 27 de setembro e vai até sexta, dia 1 de outubro. Serão cinco dias de diálogos entre representantes de organizações não governamentais, movimentos sociais, povos indígenas, governo, comunidade científica e os setores público e privado. Totalmente gratuito e online, o evento terá transmissão pelo canal do Instituto Ethos, um dos realizadores, no Youtube. Ao lado do Ethos estão, entre os principais correalizadores, a Fundação Konrad Adenauer (KAS), o Instituto Clima e Sociedade (ICS), a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco, o ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade e a Secretaria do Clima de Niterói.

Governadores, prefeitos e secretários de Meio Ambiente estarão presentes na ampla programação. Paulo Câmara, governador de Pernambuco, que sediou a primeira edição da CBMC, em 2019, falará no painel de abertura, juntamente com Luciano Paez, secretário Municipal do Clima de Niterói, primeira secretaria do gênero do país, recém-criada pelo município, ao lado de porta-vozes das entidades correalizadoras do evento. Flávio Dino, governador do Maranhão, será o palestrante do painel “Clima e Desenvolvimento: visões para o Brasil 2030”, na quinta, dia 30, às 9h30m.

Iniciativa coletiva que surgiu quando o Brasil decidiu deixar de sediar a COP 26 (Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas), a CBMC tem, entre suas discussões centrais deste ano a construção de metas mais ambiciosas para a NDC (Contribuição Nacionalmente Determinada) brasileira. Três diferentes painéis serão dedicados ao assunto. Logo na segunda, dia 27, às 14h, haverá o diálogo “A NDC brasileira como política pública nos territórios: perspectivas da sociedade civil, povos indígenas, comunidades tradicionais e juventude periférica”, que contará com a participação de Marcelo Rocha, ativista climático e diretor executivo do Instituto AYIKA, e de Américo Sampaio, coordenador do Portfólio de Comunicação e Engajamento do Instituto Clima e Sociedade (ICS). Na terça, dia 28, o tema será abordado no debate “Aumentando a ambição climática brasileira e caminhos para a descarbonização empresarial”, que pretende explorar os desdobramentos das metas assumidas pelos diferentes atores sociais no que tange práticas de descarbonização. E na sexta, dia 1 de outubro, o último debate da Conferência será “Recomendações empresariais para uma NDC brasileira mais ambiciosa”, que apresentará as indicações do Instituto Ethos, em parceria com empresas associadas, a serem encaminhadas para lideranças políticas e empresariais.

O desenvolvimento sustentável da região amazônica, bem como a escuta dos povos nativos é outro foco do evento, que reunirá lideranças e ativistas indígenas como Alessandra Munduruku, vencedora do Prêmio Robert F. Kennedy de Direitos Humanos; Dinamam Tuxá, advogado da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), a jovem ativista Txai Suruí e Alana Manchineri, militante do movimento de mulheres indígenas e comunicadora na Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB). Eles estarão em debates como o painel “Protagonismo das vozes locais nas ações climáticas no Brasil”, que acontecerá na terça, dia 28, às 14h; na discussão sobre “Financiamento climático e economia indígena: lacunas e oportunidades para uma Amazônia Viva”, também na terça, 28, às 18h20m; e ainda na mesa “Vozes da Amazônia pela Ação Climática”, no último dia de evento, às 13h. Na sequência, às 15h, “Mercados de Carbono e o Artigo 6: um debate sobre a garantia de direitos pela perspectiva indígena” será o tema do painel moderado por Sonia Guajajara, coordenadora-executiva da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) e primeira mulher indígena a se candidatar ao Executivo federal, em 2018, como vice-presidente.

O papel engajador da juventude na agenda do clima, a segurança climática como direito para crianças e adolescentes, bem como a emergência de carreiras ligadas ao tema como oportunidade de trabalho para os jovens são outros temas que prometem mobilizar a audiência durante os cinco dias de CBMC.

Os correalizadores da CBMC 2021 são: Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), Centro Brasil no Clima (CBC), Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB), Ethos, Fundação Amazonas Sustentável (FAS), FGV/EAESP – Centro de Estudos em Sustentabilidade, Fundacion Avina, Hivos, ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade, Instituto Alana, Instituto Clima e Sociedade (iCS), Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS), Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM Amazônia), Fundação Konrad Adenauer (KAS), Observatório do Clima, Prefeitura do Recife, Projeto Saúde & Alegria, Rede Brasil do Pacto Global, Rede de Cooperação Amazônica (RCA), Reos Partners, Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento de Goiás (SEMAD-GO), Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pernambuco, Secretaria Municipal do Clima de Niterói. The Climate Reality Project Brasil e Youth ClimateLeaders.

A programação completa e detalhada está em: https://www.climabrasil.org.br/

Serviço

O quê: Conferência Brasileira de Mudança do Clima (CBMC)

Quando: 27/09 a 01/10 de 2021

Onde: Canal do Instituto Ethos no YouTube: https://bit.ly/3C9m4yM

Informações e inscrições: www.climabrasil.org.br

Publicidade





Publicidade

Publicidade

Plurale

Plurale

Plurale em revista traz para você, em edições bimestrais, o debate amplo e plural – como indica o nome da publicação, em latim – de temas ligados ao ESG, sustentabilidade e casos de empresas nestas áreas. Você pode fazer agora sua assinatura de Plurale em revista, recebendo em casa ou no trabalho.

Você pode se interessar por

Plurale em revista traz para você, em edições bimestrais, o debate amplo e plural – como indica o nome da publicação, em latim – de temas ligados ao ESG, sustentabilidade e casos de empresas nestas áreas.

Você pode fazer agora sua assinatura de Plurale em revista, recebendo em casa ou no trabalho.

Publicidade

Leia também

Tire dúvidas sobre investimentos

Publicidade

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão. Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso. Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Publicidade

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.