Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Receba notícias por Whatsapp

Receba notícias pelo Telegram

Entenda de forma simples em 10 aulas porque o Brasil não conseguiu alcançar o patamar de nação rica. Os temas principais tratados no curso para entender essa questão serão: desenvolvimento econômico, desigualdade e complexidade.

O curso é voltado para estudantes de graduação em economia e ciências sociais, alunos de mestrado e doutorado ou professores que queiram utilizar essa metodologia em seus cursos.

As aulas são transmitidas em vídeos didáticos e simples, podendo ser acompanhados por quem não é economista. Cada aula tem duração media de 2 horas, divididas em 4 vídeos de 30 minutos que podem ser assistidos separadamente.

O curso tem 20 horas de conteúdo online e duração média estimada de 3 meses, mas pode ser feito no ritmo que melhor se adequar à cada participante.  As aulas podem ser assistidas em smartphones, tablets e desktops e ficarão disponibilizadas na web por até 1 ano, mas esse prazo pode ser ampliado se houver necessidade. 

Nesse curso passo toda minha experiência de mais de 15 anos com pesquisas e cursos na área de Desenvolvimento Econômico, Macroeconomia, Economia Brasileira, Redes, Complexidade e Big Data. O curso tem uma linguagem simples, didática e direta, sem abrir mão do rigor cientifico.

Disponibilizo também amplo material bibliográfico, dados e gráficos para download que complementam as discussões das aulas Online. A inscrição no curso inclui consultoria Online por Chat e e-mail  para discussões, esclarecimentos de dúvidas e questões relacionadas aos temas do Curso.

Nesse curso passo toda minha experiência de mais de 15 anos como professor de economia, macroeconomia e desenvolvimento econômico.

O valor do curso é de 12 x R$ 39,70 sem juros no cartão de crédito.

SAIBA MAIS

Aula 1–Introdução: Clássicos do Desenvolvimento econômico e  Complexidade produtiva


1.1 – Clássicos do desenvolvimento econômico: Smith, Young, Myrdal e Estruturalistas

1.2 – Complexidade econômica e sofisticação produtiva: o Atlas, Hausmann e Hidalgo

1.3 – O tipo de especialização produtiva importa na trajetória de desenvolvimento econômico

1.4 – Retornos crescentes de escala e redes produtivas locais: Krugman e a nova geografia econômica

1.5 – Vantagens comparativas em paises pobres: lutar ou se conformar?


Aula 2: Desenvolvimento econômico: divisão do trabalho, retornos crescentes de escala e complexidade


2.1 – Capacidades produtivas, proximidade e conectividade: o mundo das redes

2.2 – Manufaturas são complexas, commodities não são complexas: algoritmos de  classificação

2.3 – Doença holandesa definida como perda de complexidade econômica: o problema das commodities, Nigéria e Indonésia

2.4 – O aumento da complexidade explica o aumento da produtividade agregada: perfil do emprego dos macro-setores e produtividade intrínseca das atividades econômicas


Aula 3: Desigualdade econômica e complexidade


3.1 – Medidas antigas e novas de desigualdade: Gini, índice Palma, PGI e XGini

3.2 – Redes, Centro-Periferia, Desigualdade e Complexidade Econômica

3.3 –Evolução da desigualdade na Ásia e América Latina, um exemplo da aplicação da metodologia

3.4 – Uma nova maneira de explicar a desigualdade no Brasil: tipo de estrutura produtiva

Aula 4: Os países ricos são ricos porque produzem os bens mais complexos mundo: EUA, Europa e Japao


4.1 – Estados Unidos e Canada se tornaram produtores de bens complexos e de commodities

4.2  – Alemanha e Japão são os países mais complexos do mundo

4.3 – A perda de complexidade do Sul da Europa

4.4 – Alguns países têm uma dotação de recursos naturais grande demais

4.5 – Os casos da Austrália e Nova Zelândia


Aula 5: Nordicos, America Latina e Asia


5.1 – O caminho dos países nórdicos, commodities com sofisticação produtiva

5.2 – A America Latina não completou o salto dos produtos simples para os complexos

5.3 – A Asia que teve sucesso se especializou em produzir manufaturas para o resto do mundo

5.4 – O milagre chinês visto pela ótica da complexidade

5.5 – O caso do Chile


Aula 6: A história recente da economia brasileira, anos 2000


6.1  – A era Lula I – a indústria em expansão

6.2 – A era Lula II – boom de credito e commodities

6.3 – O governo Dilma e os anos pós 2010

6.4 –  A crise do governo Dilma II


Aula 7: A história recente da economia brasileira, anos 1990 e 1980


7.1 – Plano real, abertura comercial, reformas institucionais

7.2 – Era FHC 1 – crises cambiais e instabilidade macro

7.3 – Era FHC 2 – apagão, crise argentina e crise cambial

7.4 – Crise da divida, moratória, a saga dos planos de estabilização


Aula 8: A história da economia brasileira, anos Getúlio, JK, Milagre e II PND


8.1 – O II PND: economia brasileira em Marcha Forçada

8.2 – O milagre brasileiro: minidesvalorizações, produção e exportação de manufaturas

8.3 – Anos JK: 50 anos em 5 e plano de metas

8.4 – Era Getúlio Vargas: do cafe a industria


Aula 9: O que o governo poderia fazer?


9.1 – Preços macro e os efeitos do nível do câmbio real no setor manufatureiro

9.2 – Breve análise histórica do papel da politica industrial na origem das manufaturas

9.3 – Uma crítica à nova teoria institucionalista a partir da perspectiva estruturalista

9.4 – Investimento público e sistemas nacionais de inovação no Brasil

Aula 10: Conclusão


10.1 – Capital humano, educação, know-how tácito e conhecimento produtivo

10.2 – Macroeconomia estruturalista do desenvolvimento

10.3 – Política industrial para o século XXI

10.4 – A guisa de conclusão: algumas palavras sobre “intervencionismo” e vantagens comparativas no Brasil

10.5 – O Brasil esta preso na armadilha da renda media

SAIBA MAIS


Paulo Gala/ Economia & Finanças

Graduado em Economia pela FEA/USP. Mestre e Doutor em Economia pela Fundação Getúlio Vargas em São Paulo. Foi professor visitante nas Universidades de Cambridge UK em 2004 e Columbia NY em 2005. É professor de economia na FGV-SP desde 2002.

SAIBA MAIS

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Publicidade

Leia também

Destaques da bolsa ativos durante o pregão - das 10h as 17h - Fonte: Google Finance - delay aprox. de 20 min.

*Dados inativos fora do horário do pregão.

Nossa missão é ajudar você a investir melhor com uma variedade de conteúdos, de diversas fontes. Acreditamos que quanto mais você se informa, melhor você decide!