Publicidade
Publicidade
Publicidade

Dúvidas sobre Itaipu e Eletronuclear dominam audiência sobre Eletrobras

Data da publicação

Categoria

“O Estado de S. Paulo” é o mais antigo dos jornais da cidade de São Paulo ainda em circulação . Em 4 de janeiro de 1875, ainda durante o Império, circulava pela primeira vez “A Província de S. Paulo” – seu nome original.

Destaques

Categoria

Data da publicação

Na segunda fase da audiência pública sobre a capitalização da Eletrobras, aberta a todos os participantes, a maioria das perguntas teve como alvo a cisão da Eletronuclear e da usina hidrelétrica binacional de Itaipu, que serão incorporadas pela nova estatal criada pelo governo para gerir as duas companhias e ações sociais da Eletrobras, a ENBPar.

Além de questionamentos sobre possíveis ações judiciais dos acionistas pela perda dos dois ativos relevantes, os participantes, entre eles advogados, empregados e ex-empregados da Eletrobras, agentes do setor e engenheiros criticaram a apresentação superficial feita na manhã desta quarta-feira pelos responsáveis pela capitalização: BNDES, Ministério de Minas Energia, Secretaria Especial do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Ministério da Economia e da Genial, assessora do processo.

De acordo com os participantes, pontos importantes não foram expostos na audiência, como a tarifa que será utilizada para a incorporação da usina nuclear Angra 3 na ENBPar, a queda de receita da Eletrobras com a saída das duas empresas, entre outras.

“A audiência não esclareceu pontos obscuros dessa capitalização. Não falaram que o TCU (Tribunal de Contas da União) encontrou irregularidades que precisam ser resolvidas. Se a Eletrobras permanecer como sócia da Eletronuclear convertendo ações ordinárias em preferenciais, e ainda aportar recursos em Angra 3, qual será a contrapartida? Não será um grande prejuízo para a União, para a sociedade, para o acionista da Eletrobras?”, disse Mauro Martinelli, do Sindicato dos Urbanitários de Brasília.

De acordo com a advogada Elisa Oliveira Alves, da Advocacia Garcez, não existe previsão legal na Lei da Privatização da Eletrobras que obrigue a estatal a aportar recursos em Angra 3 depois de privatizada. “Qual a garantia de que a Eletrobras vai aportar recursos em Angra 3 depois de privada? Ela não terá mais obrigação de seguir políticas públicas depois de privatizada”, questionou.

O conselheiro Ícaro Chaves de Souza, da subsidiária da Eletrobras, Eletronorte, destacou que a usina hidrelétrica binacional de Itaipu será totalmente amortizada em 2023, portanto após a estimativa da operação de capitalização, o que vai aumentar o faturamento do ativo para R$ 14 bilhões, caso venda sua energia no mercado livre, sendo a metade desse montante do governo brasileiro.

“O valor da capitalização é de R$ 25 bilhões, quatro anos do faturamento de Itaipu. Como será calculada a indenização para os acionistas da Eletrobras por esta perda? Com certeza os acionistas da Eletrobras vão reclamar”, afirmou.

Presente no evento, o presidente do Instituto Telecom, Marcelo Miranda, lembrou ainda que o contrato entre Eletrobras e Eletronet foi considerado irregular pela Agência Nacional de Energia Elétricas (Aneel) e envolve cifras elevadas. “Como esse ativo foi considerado na avaliação da Eletrobras? Não seria importante resolver isso antes da privatização?”, questionou.

Autor

“O Estado de S. Paulo” é o mais antigo dos jornais da cidade de São Paulo ainda em circulação . Em 4 de janeiro de 1875, ainda durante o Império, circulava pela primeira vez “A Província de S. Paulo” – seu nome original.

Receba informações do mercado financeiro no seu celular gratuitamente

Compartilhe esse post nas suas redes!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Você pode se interessar por

Publicidade

Leia também

Publicidade

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão. Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso. Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Publicidade

Telegram Acionista

Os principais destaques do mercado! A melhor cobertura.

Esse site usa cookies para personalizar o conteúdo, propagandas e acompanhar o tráfego de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.