Dia das Crianças – Crianças devem investir?

criança

“É importante fazer com que a criança sinta uma emoção por estar sendo responsável com o seu dinheiro”  

Comemorado no dia 12 de outubro, o dia das crianças é uma das principais datas do comércio nacional. A sua importância para movimentar o varejo é indiscutível, como apontam os dados da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), estima-se uma movimentação de R$ 10,3 bilhões no comércio somente em 2019. Porém, tanto para as crianças quanto para adultos, a data pode ser a oportunidade de aprender mais sobre educação financeira. Ao todo, segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), 60% das famílias brasileiras tem algum tipo de dívida. O dado é alto por uma série de agravantes, mas também expõe a necessidade de se ter educação financeira desde criança. Especialistas em finanças explicam meios para passar ensinamentos que a maioria dos pais não tiveram.

Jefferson Laatus, Estrategista-Chefe do Grupo Laatus, vê como fundamental começar desde cedo a dar responsabilidades financeiras às crianças. “Um exemplo é com a mesada. O pai que dá mesada pode deixar claro, por exemplo, que essa é uma forma de comprar o próprio presente no dia das crianças, recompensando o jovem pela prudência financeira. Se o dinheiro for gasto à toa, ele terá que comprar um presente de acordo com o orçamento”, exemplifica. Para ele o importante é mostrar que poupar dinheiro é uma maneira de atingir objetivos.

“De maneira geral, é importante fazer com que a criança sinta uma emoção por estar sendo responsável com o seu dinheiro. Ela vai ter responsabilidade, aprende a saber que dinheiro não se conquista à toa e que guardar dinheiro é a maneira que conseguimos conquistar algumas coisas”, completa Laatus.

O exemplo da família também pode mostrar às crianças como cuidar do planejamento. Segundo Daniela Casabona, Sócia-Diretora da FB Wealth, os pais interessados em investir podem abrir uma conta desde o nascimento da criança. “O investimento pode começar desde o nascimento. A ideia é que, com uma boa parcela em renda fixa, o investimento no longo prazo pode trazer um bom retorno no futuro”, diz. Para Casabona, aplicações no Tesouro Direto atreladas ao IPCA estão entre as melhores opções, mas os produtos podem variar de acordo com o valor aplicado. “O Tesouro Direto atrelado ao IPCA é uma ótima opção. Quando se pensa no longo prazo, fixar o investimento à inflação vai proteger os investimentos. Dependendo do valor também é possível pensar em uma previdência em dólar”, ressalta a Sócia-Diretora da FB Wealth.

O número de pais que investem pensando no futuro dos filhos não é pequeno. Em um levantamento da Nova Futura Investimentos, foi possível identificar que 38% dos investidores cadastrados, que são pais, investem pensando no futuro dos filhos. Para Vinicius Fuzikawa, Especialista em Investimentos da Nova Futura Investimentos, a propensão a poupar pode aumentar quando são feitas as contas

. “Com um investimento mensal de R$ 450,00 por 18 anos, o Tesouro Selic pode render R$ 115.274,00, o montante passa para R$ 130.846,00 caso esteja aplicado em um CDB 125% do CDI”, explica. Para o cálculo, foi utilizado a taxa Selic atual, de 5,5%. O valor é bastante próximo do necessário para bancar uma faculdade particular, com mensalidade de R$ 2.500,00 e duração de 4 anos, que no total ficaria em R$ 120.000,00. “Dependendo do orçamento familiar os depósitos mensais podem até ser menores, mas o que importa é a consciência que a provisão pode ser o melhor presente para os seus filhos”, finaliza Fuzikawa.

gueratto