Devo me preocupar com a sustentabilidade?

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tweet
Compartilhar no linkedin
Publique
Compartilhar no whatsapp
Encaminhe
Compartilhar no email
Envie

Newsletter

Receba notícias por Whatsapp

Receba notícias pelo Telegram

A preocupação com o meio ambiente vem crescendo nos últimos anos à medida que surgem mais informações sobre as mudanças climáticas e o aquecimento global. Por conta disso, diversas mudanças começaram a surgir dentro das sociedades em relação ao que é ou não aceitável. E simultaneamente está aparecendo uma geração que cada vez mais está interessada em como a sustentabilidade e o meio ambiente são priorizados, isso em qualquer situação, incluindo empresas.

Os futuros investidores já estão exigindo que as marcas tenham um olhar diferente. É só observar a quantidade de empresas que ganham força por serem cruelty free ou por terem algum selo de sustentabilidade em seus produtos.

Um termo que vem ganhando mais visibilidade é o ESG, que a gente te explica agora.

            ESG é sigla em inglês para “Environmental, Social and corporate Governance”, em português, “Governança ambiental, social e corporativa”.

Os três termos juntos criam práticas que devem aparecer nas empresas para mostrar segurança  em suas ações e suas práticas relacionadas a sustentabilidade.

Esse padrão traz um destaque para empresas que o seguem, pois existe hoje uma tendência de que o mais atrativo é o que surge por meio de um consumo consciente

Mas devo realmente me preocupar com isso?

Muitas empresas passaram a divulgar um Relatório de Sustentabilidade, um arquivo contendo todas as informações sobre o desempenho sustentável da companhia. Eles são, usualmente, publicados ao término de cada exercício.  

De acordo com Ernst Ligteringen, presidente da Global Reporting Iniciative (GRI), em entrevista à Revista Exame, existem três vantagens para as empresas sobre os relatórios: 1) desenvolver uma estratégia voltada para o futuro; 2) melhorar o diálogo com os acionistas; 3) mudar a mentalidade, visando não somente o econômico, mas o social e ambiental também.

            A maioria desses relatórios mostra o objetivo da empresa com a sustentabilidade, como eles colocaram isso em prática naquele ano e quais foram os resultados. A ideia de transparência em assuntos que envolvem sustentabilidade e meio ambiente pode agregar na hora de um novo investidor pesquisar por empresas e decidir onde vai colocar o seu dinheiro.

Aqui no Acionista você encontra uma página completa que te leva para o Relatório de Sustentabilidade de diversas empresas, é só clicar aqui.

            A GRI afirma que um Relatório também deve apresentar os valores de uma empresa, mostrando a maneira em que a estratégia dessa está comprometida para ajudar a criar uma economia global sustentável. Para eles, qualquer empresa, não importa  quão grande ou pequena ou de que parte do mundo ela está presente, todas deveriam ter o Relatório de Sustentabilidade. Afinal, as vantagens dele são claras.

            Para entender melhor como são feitos os relatórios, vamos analisar o de duas empresas.

O critério de escolha foi selecionar uma empresa que fale abertamente de suas preocupações e ações ligadas ao meio ambiente e uma que tenha tido algum problema relacionado com o meio ambiente. Vão ser analisados como as empresas abordam a sustentabilidade e o meio ambiente, como vem o futuro da empresa ligado a isso e como a ética da empresa é abordada em questões ambientais. As companhias  escolhidas foram a Natura e a Vale.

→ Relatório de Sustentabilidade da Natura:

Logo no início eles apresentam o novo posicionamento que a marca tomou e como eles decidiram priorizar a sustentabilidade. Em letra grandes, destacam: “Nossas causas: Amazônia viva; mais beleza, menos lixo; cada pessoa importa”.

Afirmam que 80% de suas formulações são veganas, ou seja, que não possuem componentes de origem animal. A empresa foi considerada como uma empresa B, do movimento B Corp, sendo então reconhecida como uma marca que apresenta resultados econômicos e socioambientais de mesmo peso.

A Natura demonstra vontade de poder continuar a contribuir para a conservação da região da Amazônia, também mantém contato direto com as famílias fornecedoras de insumos de lá e a preocupação com a redução de lixo feito pelos seus produtos. Na parte que mostram seus critérios éticos, a empresa afirma que esses foram adicionados em uma agenda de sustentabilidade. Buscando promover transparência desde suas práticas tributárias até no uso de seus ingredientes.

→ Relatório de Sustentabilidade da Vale:

 No seu primeiro capítulo, a marca apresenta o seu planejamento de reparação ambiental na região de Brumadinho, que teve o rompimento de uma barragem da Vale em 2019. A prioridade deles desde então é a de recuperação da bacia hidrográfica do rio Paraopeba e do seu entorno.

Foram feitos estudos e monitoramentos da água para poder realizar a sua recuperação. Eles também mostram o processo de recuperação de biomas da região, e o que já foi feito e o que ainda será executado. A empresa afirma que depois do rompimento da barragem que todas as políticas e os procedimentos relacionados a aspectos ambientais foram revisados.

Também declaram: “A Vale visa atuar ativamente para induzir a neutralidade de emissões de gases de efeito estufa nas cadeias siderúrgica, metalúrgica e de navegação. Neste contexto, o principal compromisso da empresa é se tornar carbono neutra em suas operações (escopos 1 e 2) até 2050.” Em questões éticas, buscam que os planejamentos socioambientais ajudem nas regiões onde a empresa está presente.

As duas empresas estão em áreas diferentes do mercado e passam por situações dissemelhantes. Todavia, por meio do Relatório se propuseram a expor o que já fazem e o que querem fazer para melhorar em questões de sustentabilidade e meio ambiente. Podendo assim criar uma relação mais próxima com os seus acionistas.

Advertência

Declaramos que o Portal Acionista.com.br não se responsabiliza pelas informações divulgadas neste site e qualquer outro canal, tanto referente às matérias de produção própria , quanto matérias ou análises produzidas por terceiros ou reproduzidas de links autorizados, publicados nas nossas páginas a partir de uma seleção criteriosa, porém sem garantir sua integralidade e exatidão.
Matérias e  análises produzidas por terceiros são de inteira responsabilidade dos mesmos. As informações, opiniões, sugestões, estimativas ou projeções referem-se a data presente e estão sujeitas à mudanças conforme as condições do mercado, sem prévio aviso.
Informamos, ainda, que o Acionista.com.br não faz qualquer recomendação de investimento e que, portanto, não se responsabiliza por perdas, danos, custos e lucros cessantes decorrentes de operações financeiras de qualquer tipo, enfatizando que as decisões sobre investimentos são pessoais.
Importante lembrar sempre: ganhos passados, não são garantia de ganhos futuros.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Leia também

Publicidade

Leia também

Destaques da bolsa ativos durante o pregão - das 10h as 17h - Fonte: Google Finance - delay aprox. de 20 min.

*Dados inativos fora do horário do pregão.

Especial Resultados 3T20 já disponível

Confira os relatórios e comentários sobre o desempenho das empresas neste trimestre.

Fique por dentro

Se inscreva para ser notificado quando um novo post for publicado.

Além de diversos conteúdos do mercado financeiro em um lugar para você ler, comparar e decidir.